Home » Núcleo da juventude negra inscreve em cursos gratuitos

Núcleo da juventude negra inscreve em cursos gratuitos

A TARDE Educação

 

A globalização da economia e dos meios de comunicação insere o homem num contexto de profundas e rápidas transformações, exigindo mudanças radicais nas estruturas sócio-econômicas do País. Tais necessidades projetam na educação caminhos que possam gerar processos e provocar mudanças. Para que estas ocorram é imprescindível transformar a cultura tradicional do ensino numa educação que estimule as possibilidades de cada indivíduo, proporcionando uma visão crítica de mundo.

Com essa ideia, o Jornal A TARDE, através da iniciativa do presidente do Grupo A TARDE, Dr. Renato Simões,  e da orientação do Prof. Dr. Edivaldo Boaventura, iniciou o Programa de Jornal e Educação, que na ocasião era denominando de A TARDE na Escola 

Oferecendo informações atuais e diversificadas sobre cidade,  país e  mundo, o Programa, hoje denominado  A TARDE Educação, traz para sala de aula um poderoso recurso pedagógico complementar às atividades curriculares, auxiliando o professor no processo de ensino-aprendizagem e despertando no aluno o interesse de aprofundar conhecimentos. Dessa forma, a informação é transformada em formação, pelo incentivo a leitura e através da capacidade de analisar criticamente a realidade social. Por consequência, contribuímos não só para a  formação de leitores, mas, acima de tudo, para melhoria da qualidade do ensino, instituindo conhecimentos sólidos para a integração do cidadão as exigências da sociedade moderna.

Existem grandes desafios para a (re)construção da educação nacional – muitas perguntas, algumas respostas e a necessidade maior de soluções que venham contemplar mudanças substanciais para o desenvolvimento social.

Justificativa:

O processo de universalização do ensino público e gratuito tem como princípio fundamental promover a inserção social das camadas menos favorecidas da população por meio de democratização do acesso ao conhecimento e, consequentemente, às oportunidades de desenvolvimento social e econômico. As escolas públicas, no entanto, vêm conseguindo superar os desafios impostos pelas mais diversas formas de exclusão, criando oportunidades à todos ao acesso à educação.

Preocupado com as novas demandas da sociedade, bem como com as expectativas das crianças e jovens que têm acesso a escola, o Jornal A TARDE investe na concepção de metodologias educacionais mais contemporâneas, construídas e implementadas em parceria com professores e alunos multiplicadores, usando o Jornal como recurso didático.

A intenção é fazer com que o Jornal possibilite um elo entre a escola e o mundo, propondo inovações capazes de entusiasmar o alunado, possibilitando a aprendizagem dos conteúdos trabalhos em sala de aula e promovendo a participação ativa no meio socio-político.


Caracterização do A TARDE:

Ernesto Simões da Silva Freitas Filho nasceu no dia 4 de outubro de 1886, na cidade de Cachoeira, Bahia. Filho do coronel Ernesto Simões da Silva Freitas e de Emília Rosa Simões de Freitas, formou-se bacharel em Ciências Jurídicas e Sociais, em dezembro de 1907, pela antiga Faculdade Livre de Direito da Bahia.

Foi jornalista, deputado estadual, oficial de gabinete do ministro de Viação e Obras Públicas, administrador dos Correios, deputado federal, líder da bancada baiana e ministro da Educação e Saúde, além de membro fundador da Academia de Letras da Bahia. Desenvolveu o interesse pelo jornalismo ainda no Ginásio Baiano, onde fundou o jornalzinho “O Carrasco”, em seguida uma revista, “O Papão” e efetivou-se como profissional de imprensa na redação do jornal “Gazeta do Povo”, onde ingressou em 1905.

Em 1912, com 26 anos de idade, fundou seu próprio jornal, A TARDE, que dirigiu até 1957, ano em que faleceu no Rio de janeiro no dia 24 de novembro. Casado com Helena Guimarães Cerne, teve três filhos: Regina Simões de Mello Leitão, Renato Simões – respectivamente Presidente e Superintendente do Grupo A TARDE – e Vera Simões, residente em Paris-França, colabora com textos jornalísticos e entrevistas exclusivas para o jornal.

A TARDE registrou os importantes acontecimentos do Século XX: duas guerras mundiais, a descoberta da penicilina, o advento do cinema falado e em cores, a televisão, a chegada do homem a Lua, as maravilhas do computador, as Copas do Mundo, os planos econômicos e muito mais, seguindo com a mesma missão de levar aos leitores as notícias com qualidade, conforme a primeira carta de compromisso de Ernesto Simões Filho.

Desde 1912, tem sido assim. Embora seja um jornal imparcial, A TARDE nunca esteve indiferente aos embates do direito e, embora neutro, nunca se esquivou das controvérsias que interessassem o bem-estar comum. Fiel aos princípios de seu fundador, A TARDE, ao longo de sua trajetória, tem sido um porta-voz procurando defender os interesses da sociedade e  da democracia.

Histórico:

A TARDE Educação é um programa de atividade institucional do Jornal A TARDE  filiado ao Comitê de Leitura e Circulação da Associação Nacional de Jornais (ANJ) que, conjuntamente com outros 63 dos principais jornais do país, desenvolve programas de jornal na educação.

O programa de Jornal e Educação de A TARDE iniciou suas atividades no dia 21/02/96, inaugurando o 1º semestre  com três escolas: uma   estadual, uma municipal e uma  particular, contendo 64 professores e 549 alunos da 8ª série do ensino fundamental. O 2º semestre prorrogou-se com as escolas anteriores, ampliando a participação para mais quatro escolas, destacando também, a linha de atuação do projeto para a rede de ensino filantrópica. Encerrou  o ano letivo de 96 com sete escolas pertencentes às redes de ensino supracitadas, atendendo a todas as séries do ensino fundamental.

Apoiados na ideia de que a ação promovida pelo programa vai além dos muros da escola, no início de 2007 ouve uma mudança de nomenclatura. O que era A TARDE na Escola, passa a se chamar A TARDE Educação – Escola. Essa mudança possibilitou também um olhar diferenciado às ONG’s integradas ao programa através do A TARDE Educação.

Em 2008, com a assinatura do Decreto Municipal Nº 17.339, a ação de Jornal e Educação foi transformada numa política pública no sistema municipal de ensino da capital baiana. Dessa forma, o A TARDE Educação foi ampliado, chegando a todas as escolas municipais do Ensino Fundamental.

Em 2011, o programa fez parcerias com vários municípios baianos nas  escolas municipais. Para atender a demanda de formação desses educadores,  o A TARDE Educação utilizou  a tecnologia de Educação a Distancia.

 Visando oferecer material pedagógico e formação tanto presencial como a distância, o A TARDE Educação criou o “Interatividade”, jornal online colaborativo.  A ideia foi reunir a produção de todos que fazem parte do programa num espaço democrático que oferece aos leitores artigos, notícias, charges, vídeos, entre outros. Durante uma trajetória de 17 anos,  o  programa A TARDE Educação já  alcança  cerca de  2.500 escolas da rede pública de ensino da Bahia,  22 mil educadores e 500 mil estudantes.

Em 2012,  o A TARDE Educação conquistou uma importante premiação no Prêmio Mundial Jovens Leitores da WAN-IFRA. O programa ganhou  a Comenda do Júri na categoria Enduring Excellence (Excelência Duradoura), que reconhece a qualidade de projetos voltados a jovens há pelo menos dois anos.

Para 2013,  o programa A TARDE Educação espera conquistar novos parceiros, contribuindo para uma  formação continuada e multiplicando o número de leitores.

Atualmente, o programa promove o concurso cultural “Jovem jornalista: um furo de notícia” no sentido de incentivar à produção de textos jornalísticos por parte dos estudantes, e assim, despertar novos  talentos.Assim como, o A TARDE Educação, no início desse ano, produziu o seu primeiro caderno  especial, que está sendo distribuído nas escolas dos municípios parceiros. No caderno A TARDE Educação  tem entrevista, o guia de produção da notícia, artigos, reportagens, além da matéria acerca do concurso cultural.A ideia desse encarte é servir  como um mapa de orientação para os professores   desenvolverem melhor o trabalho com o jornal em sala de aula, com isso, contribuindo para a formação de leitores críticos.