Arquivos de Tag: Aprendizado

BRINCADEIRA SÉRIA: A importância do brincar no desenvolvimento infantil

Jeff

*Por Aline Dunham A relação entre o brincar e o desenvolvimento infantil tem sido um assunto recorrente, constantemente abordado em diversos estudos apoiados pela neurociência. Certamente, você já deve ter ouvido alguém falar, ou lido em algum lugar, que a brincadeira é importante na vida da criança e que esse momento deve ser respeitado. Mas será que você já questionou o motivo pelo qual profissionais especializados têm se preocupado tanto em falar sobre uma atividade que aparenta ser tão simples? Nos dias atuais, quando as crianças se deparam com suas horas controladas, divididas entre escola,  cursos e outras tarefas extra curriculares, o tempo reservado para as brincadeiras tem sido cada vez menor, por serem consideradas pouco importantes. É muito comum escutar pais verbalizarem, cheios de orgulho, que as agendas superlotadas dos filhos não lhe permitem mais ter tempo para as brincadeiras, numa espécie de discurso que associa o brincar com irresponsabilidade e falta de compromisso para com os estudos. Com esse pensamento, inclusive, algumas famílias estão substituindo férias por reforço escolar, acreditando que seus filhos “estão sendo preparados para se tornarem pessoas responsáveis”. O que muitas famílias não sabem, ou talvez ignorem, é que as brincadeiras são essenciais para a formação da criança (por esse motivo, é um direito garantido pela Constituição) e que ajudam a desenvolver diversas habilidades, dentre elas, motoras, cognitivas (percepção, memória, atenção, concentração, etc.) e emocionais. São essas habilidades, inclusive, que irão favorecer o processo de aprendizagem da leitura, escrita e matemática. Logo, a criança aprende brincando. Aprende também a desenvolver seu potencial criativo, autonomia, a interagir com seus pares, a compartilhar ideias, assimilar regras e respeitá-las, a liderar, exercer trocas de papéis (através do faz-de-conta, fantasia), a solucionar situações-problema. Aprende a estruturar e desenvolver seu mundo interior, emocional, a lidar com frustrações, a amadurecer. Todas essas capacidades são essenciais ao seu futuro acadêmico e profissional. Uma criança que não brinca, ou que brinca muito pouco, apresenta dificuldades em seu desenvolvimento cognitivo, motor e emocional. Assim, respeitar o momento do brincar de seu filho significa respeitar sua infância e etapas de desenvolvimento, garantindo que ele cresça de forma saudável. Assim como o trabalho é indispensável aos adultos, o brincar é coisa séria. *ALINE DUNHAM – Especialista em Psicopedagoga Clínica e Institucional. Atua como psicopedagoga ... Leia Mais »

Leitura de jornal amplia aprendizado

Caderno, lápis, caneta e todos os outros materiais utilizados na sala de aula dão espaço para novas ferramentas. A internet com sua gama de rede sociais, sites de busca, grupos de relacionamentos, que podem ser acessados facilmente pelo celular, vem sendo cada vez mais utilizada como ferramenta a fim de estimular o aprendizado dos alunos. O professor Genário Gomes , do município de Porto Seguro, afirma que estes meios são capazes não só de estimular o aprender, mas deixam as aulas muito mais proveitosas para os professores. “Trazer novas ferramentas para a sala de aula é dizer para os alunos que a escola está além das paredes. É mostrar que a educação está em tudo. Desde a bula de remédio, onde ele encontra uma palavra nova, até a mensagem de texto quando ele se propõe a escrever corretamente”, define o articulador do programa A TARDE Educação no município. De acordo com Genáro Gomes, o jornal impresso é uma das ferramentas possíveis de serem utilizadas. “O jornal diário é um mundo em nossas mãos, o que possibilita atingir a curiosidade de todos os gostos. Além de ser uma ferramenta multidisciplinar. Como muitas pessoas nunca tiveram contato com ele em casa, quando a escola oferece, acaba se tornando uma novidade muito maior que o próprio celular. É possível fazer, basta os professores e orientadores saírem da zona de conforto e inovarem”, conta. A cidade Porto Seguro que foi palco para o minicurso do A TARDE Educação nos dias 15 e 16, está entre um dos 29 municípios atendidos pelo programa, que visa incentivar e orientar a utilização do jornal impresso e dos meios de comunicação como ferramentas de ensino. Leia Mais »

Arquivos de jornais são utilizados como ferramenta de aprendizado

As páginas dos jornais registram acontecimentos do cotidiano, muitos dos quais podem se tornar fatos históricos relevantes e que podem ser consultados posteriormente para pesquisa. As coleções de jornais, geralmente, são arquivadas e digitalizadas. A TARDE, por exemplo, tem todas as suas edições publicadas em 103 anos de circulação digitalizadas e disponíveis para consulta. Para a bibliotecária  Dayse Franca, entre os tipos de arquivos, o do jornal impresso se destaca por ser uma ferramenta de credibilidade, já que não tem a mesma flexibilidade das redes de internet na alteração de dados. “Não é um texto escrito de forma aleatória, tem uma autoria e uma instituição por trás. Caso haja “má fé” ou um entendimento errôneo da informação ou algum fato ocorrido, há penalização do autor ou da instituição responsável”, diz. Ele acrescenta que diferentemente do que acontece com alguns sites ou redes sociais onde as informações são inseridas de forma aleatória,“ o jornal é também um documento  histórico porque reflete, de forma organizada (data, local, circunstância), os padrões de uma determinada época”. Quando voltada para as contribuições no período escolar e acadêmico, os materiais contidos em artigos podem colaborar coma formação dos alunos e, também, orientar o corpo docente, afirma o professor e mestre em história da Bahia, Rodrigo Araújo. “O arquivo do jornal impresso é um documento da história do mundo, importantes acontecimentos estão retratados ali. O que não saiu no jornal é algo desconhecido para todo o mundo, já que este veículo sempre pautou todos os demais mecanismo da imprensa. A escola precisa apresentar esses espaços aos alunos, para que a sociedade possa o conhecer posteriormente”. A pedagoga do programa A TARDE Educação, Flávia Barreto,0 jornal é dinâmico, tem registros ali que não estão nos livros didáticos.“ Outro fator é o regionalismo, sabemos que por mais esforços que existam, nossos livros não conseguem contemplar toda a história, nossas aulas ganham mais vigor quando trazemos novidade sou assuntos, o arquivo do jornal impresso permite isso. Permite resgatar a história, trazer ao aluno algo que ele ainda não teve contato, masque está registrado não apenas na memória”. Leia Mais »

Alunos de escolas municipais recebem prêmio de concurso de redação sobre corrupção

Em comemoração ao Dia Internacional de Combate à Corrupção (09), os alunos da rede municipal de ensino vencedores da 2ª edição do concurso de redação “O que você tem a ver com a corrupção?” foram premiados nesta quarta-feira (10). O concurso – realizado pelo Ministério Público da Bahia (MP-BA), em parceria com a Secretaria Municipal da Educação (SMED) – envolveu alunos do 8º e 9º ano, que fizeram um artigo de opinião com o tema “O que você tem a ver com a corrupção”. Participaram do evento o procurador-geral do MP-BA, Márcio José Cordeiro Fahel, o chefe de gabinete da SMED, Eliezer Cruz, o promotor Sávio Damasceno, além de outras autoridades. A abertura foi feita pelo coral do MP-BA. O objetivo da ação é conscientizar as crianças e adolescentes sobre o valor da honestidade e da transparência das atitudes do cidadão comum, destacando atos rotineiros que contribuem para a formação do caráter. Os alunos vencedores foram premiados com um tablet e os professores orientadores com uma câmera fotográfica digital. As redações premiadas foram publicadas nesta quarta-feira (10) em um jornal de grande circulação. A campanha – Lançada em 2012 com o objetivo de conscientizar a sociedade, principalmente as crianças e adolescentes, a partir de um diferencial, que é o incentivo à honestidade e à transparência das atitudes do cidadão comum, destacando atos rotineiros que contribuem para a formação do caráter, com vistas à criação de uma cultura de valores e princípios éticos que contribuam para a construção de um país mais justo e melhor. Confira os vencedores: 1º lugar: Aluna: Laurene Sued Batista dos Santos – 9º ano Escola Municipal Brigadeiro Eduardo Gomes Professora: Eliane Souza da Silva Neves 2º lugar: Aluna: Suelen Nascimento Silva – 8º ano Escola Professora Alexandrina dos Santos Pita Professora: Deise Souza Alves 3º lugar: Aluna: Anna Carolina Reis Leão – 9º ano Escola Municipal Amélia Rodrigues Professora: Joseli dos Reis Querino Leia Mais »

A noite que durou 21 anos: A mancha vermelha na linha do tempo do Brasil

Por Mirela Meneses Em 1964 iniciou-se um dos períodos mais sombrios e vergonhosos da história do Brasil. Durante 21 anos, tudo que se tem hoje como direito fundamental do ser humano, foi violado, e a vontade do povo negligenciada ao ponto de a palavra “democracia” cair no ostracismo por mais de duas décadas. O Golpe Militar foi, em inúmeros aspectos, um retrocesso na história de nosso país. A liberdade de expressão, como você deve se lembrar, deixou de existir, e práticas como a tortura e o “abatimento” de seres humanos tornaram-se desumanamente comuns. “Milhares de vidas (especialmente de jovens) foram ceifadas em função da forte repressão à luta daqueles que tiveram a coragem e audácia de se opor ao regime da censura e violência. O medo foi, indubitavelmente, o elemento que mais marcou esse período. Depois de muito sofrimento, porém, a noite que durou 21 anos finalmente chegou ao fim, deixando cicatrizes incuráveis nos corpos e corações daqueles que participaram dessa luta. Assim, estabeleceu-se o regime democrático, há muito almejado, findando o período de guerras silenciosas e silenciadas que manchou de vermelho a linha do tempo do Brasil. * Mirela Meneses é aluna do 3º ano do Colégio Oficina e teve esse artigo publicado no jornal A Tarde no dia 10/11/2014 Leia Mais »

Educadores usam a ciência para melhorar rendimento escolar

Por Jair Mendonça Um grupo de pesquisadores de diversas regiões do país lançou recentemente, no Rio de Janeiro, a Rede Nacional de Ciência para a Educação, com intuito de otimizar o aprendizado escolar tendo como base estudos científicos. Um desses estudo, por exemplo, comprova que a maioria dos indivíduos tem mais dificuldades de concentração no período da manhã. O objetivo do grupo, de acordo com Roberto Lent – um dos idealizadores da proposta -, é conduzir estudos capazes de investigar como ocorrem os processos de ensino e aprendizagem, gerando evidências científicas que possam subsidiar melhores práticas pedagógicas e, assim, otimizar o aprendizado escolar. Para Lent, que também é diretor do Instituto de Ciências Biomédicas da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), não tem sentido obrigar jovens a acordarem às seis da manhã e exigir deles que, às sete, já estejam atentos para aprender matemática em suas primeiras atividades escolares. “Por essa lógica, seria muito mais produtivo, por exemplo, iniciar o dia com atividades lúdicas, como música ou esportes. Deixar aulas de disciplinas que demandam maior esforço e concentração para mais tarde”, explica Lent. Para o neurologista e neuropediatra baiano Fabrício Guimarães Júnior, a iniciativa do grupo de pesquisadores é válida. “De fato, a concentração dos indivíduos fica comprometida nas primeiras horas do dia. Alguns conseguem se adaptar melhor a essa situação. Outros apresentam grande dificuldade e são tratados como preguiçosos pelos professores e pela família”, constata o especialista. Segundo Fabrício, é importante conscientizar os educadores sobre a importância do repouso para o desenvolvimento do estudante. “O ambiente escolar também pode melhorar se o horário das aulas e as atividades propostas forem ajustados ao ritmo do corpo”, completa. A dona de casa Elisa Borges de Jesus, 47, atendeu aos pedidos do filho Matheus de Jesus Carvalho, 10, e transferiu o estudante do 4º do ensino fundamental para o turno vespertino. “Ele vivia me pedindo para mudar. Disse que não conseguia prestar atenção nas aulas. Esse foi o primeiro ano dele estudando à tarde. As notas melhoraram”, comemora Elisa. Pesquisa A Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) fez, no início do ano, uma pesquisa no Centro de Educação Integrada, em Natal. Os resultados indicam algumas medidas para driblar o relógio biológico dos adolescentes. Deixar as ... Leia Mais »

Escolas focam em ações para um planeta sustentável

Por Davi Lemos Há duas semanas, a Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura (Unesco) lançou um ultimato: a educação para o desenvolvimento sustentável deve fazer parte dos currículos escolares. O secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, resumiu: “Não há plano B porque não existe planeta B”. Na Bahia, escolas públicas e particulares já enfrentam a questão há algum tempo. No Colégio Oficina, na Pituba, os estudantes decidiram que as ações de sustentabilidade tinham que vir junto com as atividades de cidadania. Rachel Motta de Oliveira Mutti, 15, é aluna do 1º ano do nível médio e integra o Grupo Ambiental e Cidadão do Colégio Oficina (Gacco). “A proteção do meio ambiente e as ações de cidadania devem andar juntas. Por isso juntamos os dois projetos no mesmo grupo”, diz a estudante. A diretora da escola e coordenadora do Gacco, Márcia Kalid, diz que, entretanto, não deve haver uma disciplina específica para trabalhar os temas. “Trabalhamos isto de forma transversal e interdisciplinar”. Kalid diz ainda que os estudantes desempenham as atividades não somente no ambiente escolar, mas saem para realizar visitas a projetos de sustentabilidade, como à Cooperativa de Recicláveis de Canabrava. “Quando observamos esta realidade de perto, as ações tornam-se muito mais que uma matéria pode ensinar. A motivação para conservar o ambiente tem que vir de dentro”, disse Rachel Mutti. No espaço escolar, os estudantes são incentivados a promover ações de reciclagem – como parte integrante das disciplinas de física, química e biologia. Eles realizam visitas à estação de tratamento da Embasa, na Boca do Rio. O conhecimento dos processos de tratamento servem para estimular o consumo racional deste bem. Rede pública Embora possua diretrizes para a educação ambiental desde 2006, somente há um ano a Secretaria Municipal da Educação (Smed) criou um grupo de trabalho para tratar do tema. A intenção foi tornar as ações deste tema uma constante. “Como ocorre com uma horta, a educação ambiental deve ser sempre cuidada, sempre regada”, comparou a supervisora do grupo de trabalho de educação ambiental da Smed, Jaqueline Araújo de Barros, que é socióloga. “A nossa proposta é que Salvador seja um município educador sustentável”, destacou. A secretaria possui quatro linhas de atuação – visitas guiadas a institutos públicos e privados que promovem ... Leia Mais »

2ª PARTE: Jornalistas vão até escola, no Lobato, e falam sobre rotina de jornal

Por Euzeni Daltro Empolgados, curiosos e bem dispostos. Foi assim que os alunos do 8º ano do Colégio Estadual Tereza Helena Mata Pires, no Lobato, participaram da palestra do jornalista do MASSA!, João Eça, na tarde da última quarta (12), na sede da instituição. Durante uma hora e meia, aproximadamente, ele falou sobre a rotina produtiva do jornal, a escolha das notícias e respondeu às perguntas dos estudantes. E como perguntaram! Os meninos queriam saber de tudo, desde o motivo que levou o Grupo A TARDE a criar o MASSA! até a seleção de fotos das gatas que estampam as capas. Antes mesmo do início da apresentação, houve quem externasse o desejo de atuar na área.“Poderia abrir vaga para alguns meninos daqui. Aí a fotógrafa ia me ensinar a usar aquela máquina. Se eu for trabalhar, quero ficar na parte de Polícia”, reivindicou Renan Vitor Bispo, 16. Durante a explanação, o jornalista João Eça ressaltou que o papel do MASSA! É buscar sempre o lado humano das histórias e valorizar os bairros populares. “A gente quer mostrar as coisas boas que acontecem nos bairros. O MASSA! temo estigma de ser ‘espreme e sai sangue’, mas tem apenas duas páginas de Polícia e nunca publicou imagem de sangue nem de corpo”, completou ele, que comanda a cobertura policial. O encontro fez parte do projeto de leitura do jornal MASSA! desenvolvido com a turma pela professora de Língua Portuguesa Mércia Abreu. Leia Mais »

Escolas planejam ano letivo de 2014 nesta quinta e sexta-feira

Com o tema “O Planejamento Coletivo da Escola para o Fortalecimento das Aprendizagens”, a Secretaria da Educação do Estado da Bahia promove a Jornada Pedagógica 2014, nos dias 30 e 31 de janeiro, podendo ser estendida para os dias 6 e 7 de março, nos turnos diurno e noturno. Leia Mais »