Arquivos de Tag: Crianças

Alunos de escolas municipais recebem prêmio de concurso de redação sobre corrupção

PremiacaoMP (1)

Em comemoração ao Dia Internacional de Combate à Corrupção (09), os alunos da rede municipal de ensino vencedores da 2ª edição do concurso de redação “O que você tem a ver com a corrupção?” foram premiados nesta quarta-feira (10). O concurso – realizado pelo Ministério Público da Bahia (MP-BA), em parceria com a Secretaria Municipal da Educação (SMED) – envolveu alunos do 8º e 9º ano, que fizeram um artigo de opinião com o tema “O que você tem a ver com a corrupção”. Participaram do evento o procurador-geral do MP-BA, Márcio José Cordeiro Fahel, o chefe de gabinete da SMED, Eliezer Cruz, o promotor Sávio Damasceno, além de outras autoridades. A abertura foi feita pelo coral do MP-BA. O objetivo da ação é conscientizar as crianças e adolescentes sobre o valor da honestidade e da transparência das atitudes do cidadão comum, destacando atos rotineiros que contribuem para a formação do caráter. Os alunos vencedores foram premiados com um tablet e os professores orientadores com uma câmera fotográfica digital. As redações premiadas foram publicadas nesta quarta-feira (10) em um jornal de grande circulação. A campanha – Lançada em 2012 com o objetivo de conscientizar a sociedade, principalmente as crianças e adolescentes, a partir de um diferencial, que é o incentivo à honestidade e à transparência das atitudes do cidadão comum, destacando atos rotineiros que contribuem para a formação do caráter, com vistas à criação de uma cultura de valores e princípios éticos que contribuam para a construção de um país mais justo e melhor. Confira os vencedores: 1º lugar: Aluna: Laurene Sued Batista dos Santos – 9º ano Escola Municipal Brigadeiro Eduardo Gomes Professora: Eliane Souza da Silva Neves 2º lugar: Aluna: Suelen Nascimento Silva – 8º ano Escola Professora Alexandrina dos Santos Pita Professora: Deise Souza Alves 3º lugar: Aluna: Anna Carolina Reis Leão – 9º ano Escola Municipal Amélia Rodrigues Professora: Joseli dos Reis Querino Leia Mais »

A noite que durou 21 anos: A mancha vermelha na linha do tempo do Brasil

Mirela  Menezes

Por Mirela Meneses Em 1964 iniciou-se um dos períodos mais sombrios e vergonhosos da história do Brasil. Durante 21 anos, tudo que se tem hoje como direito fundamental do ser humano, foi violado, e a vontade do povo negligenciada ao ponto de a palavra “democracia” cair no ostracismo por mais de duas décadas. O Golpe Militar foi, em inúmeros aspectos, um retrocesso na história de nosso país. A liberdade de expressão, como você deve se lembrar, deixou de existir, e práticas como a tortura e o “abatimento” de seres humanos tornaram-se desumanamente comuns. “Milhares de vidas (especialmente de jovens) foram ceifadas em função da forte repressão à luta daqueles que tiveram a coragem e audácia de se opor ao regime da censura e violência. O medo foi, indubitavelmente, o elemento que mais marcou esse período. Depois de muito sofrimento, porém, a noite que durou 21 anos finalmente chegou ao fim, deixando cicatrizes incuráveis nos corpos e corações daqueles que participaram dessa luta. Assim, estabeleceu-se o regime democrático, há muito almejado, findando o período de guerras silenciosas e silenciadas que manchou de vermelho a linha do tempo do Brasil. * Mirela Meneses é aluna do 3º ano do Colégio Oficina e teve esse artigo publicado no jornal A Tarde no dia 10/11/2014 Leia Mais »

Educadores usam a ciência para melhorar rendimento escolar

Divulgação

Por Jair Mendonça Um grupo de pesquisadores de diversas regiões do país lançou recentemente, no Rio de Janeiro, a Rede Nacional de Ciência para a Educação, com intuito de otimizar o aprendizado escolar tendo como base estudos científicos. Um desses estudo, por exemplo, comprova que a maioria dos indivíduos tem mais dificuldades de concentração no período da manhã. O objetivo do grupo, de acordo com Roberto Lent – um dos idealizadores da proposta -, é conduzir estudos capazes de investigar como ocorrem os processos de ensino e aprendizagem, gerando evidências científicas que possam subsidiar melhores práticas pedagógicas e, assim, otimizar o aprendizado escolar. Para Lent, que também é diretor do Instituto de Ciências Biomédicas da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), não tem sentido obrigar jovens a acordarem às seis da manhã e exigir deles que, às sete, já estejam atentos para aprender matemática em suas primeiras atividades escolares. “Por essa lógica, seria muito mais produtivo, por exemplo, iniciar o dia com atividades lúdicas, como música ou esportes. Deixar aulas de disciplinas que demandam maior esforço e concentração para mais tarde”, explica Lent. Para o neurologista e neuropediatra baiano Fabrício Guimarães Júnior, a iniciativa do grupo de pesquisadores é válida. “De fato, a concentração dos indivíduos fica comprometida nas primeiras horas do dia. Alguns conseguem se adaptar melhor a essa situação. Outros apresentam grande dificuldade e são tratados como preguiçosos pelos professores e pela família”, constata o especialista. Segundo Fabrício, é importante conscientizar os educadores sobre a importância do repouso para o desenvolvimento do estudante. “O ambiente escolar também pode melhorar se o horário das aulas e as atividades propostas forem ajustados ao ritmo do corpo”, completa. A dona de casa Elisa Borges de Jesus, 47, atendeu aos pedidos do filho Matheus de Jesus Carvalho, 10, e transferiu o estudante do 4º do ensino fundamental para o turno vespertino. “Ele vivia me pedindo para mudar. Disse que não conseguia prestar atenção nas aulas. Esse foi o primeiro ano dele estudando à tarde. As notas melhoraram”, comemora Elisa. Pesquisa A Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) fez, no início do ano, uma pesquisa no Centro de Educação Integrada, em Natal. Os resultados indicam algumas medidas para driblar o relógio biológico dos adolescentes. Deixar as ... Leia Mais »

Sala de aula invertida: método de ensino + tecnologia

sala_de_aula0

Por Karen Sasaki As principais teorias de aprendizagem (behaviorismo, construtivismo e cognitivismo) não estão conseguindo responder à recente dinâmica que envolve a sala de aula contemporânea com a imersão de estudantes no mundo tecnológico. Como professores, percebemos que nossas aulas concorrem com a distração em redes sociais via smartphones, bem como podemos ser desafiados pelos estudantes que acessam o Google enquanto problematizamos uma discussão. Temos uma nova configuração de sala de aula com utilização de tecnologia independente do seu uso pelo professor. A sala de aula tradicional, com modelo centrado no professor, ainda existe, mas é importante desistir de reproduzir uma prática que tende a confrontar com a realidade de jovens e adultos. Uma tendência na educação é a sala de aula invertida, um conceito criado em 2007 por dois professores que disponibilizavam suas aulas em PowerPoint narrado com voz para reposição de aulas de estudantes que eventualmente se ausentavam. A iniciativa de reposição superou as expectativas dos alunos ausentes que conseguiram aproveitamento curricular satisfatório, popularizou a dinâmica na escola com o sucesso de aprendizagem e motivação dos estudantes, e chegou às salas de aula da Universidade de Harvard como estratégia de aprendizagem inovadora. Essa estratégia de aprendizagem funciona da seguinte forma: o professor seleciona recursos audiovisuais (ou cria através de tablets e computadores) que podem ser acessados, inclusive, por celulares; disponibiliza a aula previamente para os estudantes com o objetivo de aprendizagem estruturado, invertendo a lógica de acesso ao conteúdo. Diferente da lógica tradicional na qual o estudante tem acesso ao conteúdo apenas durante a aula e depois aprofunda por iniciativa própria, na sala de aula invertida o aluno tem acesso aos conceitos fundamentais antes do encontro com o professor. Durante a aula é oportunizado espaço para aprofundamento e prática do conhecimento teórico com a criação de grupos de discussão e socialização. Depois, os recursos audiovisuais continuam disponíveis para revisão, consulta dos estudantes e verificações de aprendizagem. A essência da prática da sala de aula invertida não é uma novidade e não é uma atividade que acarreta mais trabalho para o professor que já desenvolve suas estratégias de planejamento pedagógico. Essência Desenvolver atividades durante uma aula na qual o estudante já teve oportunidade de conhecer o conteúdo através de um recurso audiovisual otimiza o tempo ... Leia Mais »

2ª PARTE: Jornalistas vão até escola, no Lobato, e falam sobre rotina de jornal

massa2

Por Euzeni Daltro Empolgados, curiosos e bem dispostos. Foi assim que os alunos do 8º ano do Colégio Estadual Tereza Helena Mata Pires, no Lobato, participaram da palestra do jornalista do MASSA!, João Eça, na tarde da última quarta (12), na sede da instituição. Durante uma hora e meia, aproximadamente, ele falou sobre a rotina produtiva do jornal, a escolha das notícias e respondeu às perguntas dos estudantes. E como perguntaram! Os meninos queriam saber de tudo, desde o motivo que levou o Grupo A TARDE a criar o MASSA! até a seleção de fotos das gatas que estampam as capas. Antes mesmo do início da apresentação, houve quem externasse o desejo de atuar na área.“Poderia abrir vaga para alguns meninos daqui. Aí a fotógrafa ia me ensinar a usar aquela máquina. Se eu for trabalhar, quero ficar na parte de Polícia”, reivindicou Renan Vitor Bispo, 16. Durante a explanação, o jornalista João Eça ressaltou que o papel do MASSA! É buscar sempre o lado humano das histórias e valorizar os bairros populares. “A gente quer mostrar as coisas boas que acontecem nos bairros. O MASSA! temo estigma de ser ‘espreme e sai sangue’, mas tem apenas duas páginas de Polícia e nunca publicou imagem de sangue nem de corpo”, completou ele, que comanda a cobertura policial. O encontro fez parte do projeto de leitura do jornal MASSA! desenvolvido com a turma pela professora de Língua Portuguesa Mércia Abreu. Leia Mais »

Alunos de escola municipal de Juazeiro são medalhistas na 17ª Olimpíada Brasileira de Astronomia

gmcile

Não é de hoje que a rede pública municipal de Juazeiro vem ganhando concursos na educação. Recentemente alunos foram premiados em um concurso da TV São Francisco e agora a Escola Judite Leal Costa teve estudantes medalhistas de prata e bronze na 17ª Olimpíada Brasileira de Astronomia e Astronáutica (OBA). De acordo com a organização do evento (Sociedade Astronômica Brasileira, em parceria com a Agência Espacial Brasileira), a OBA reuniu cerca de 800 estudantes participantes de escolas públicas e privadas e tem como objetivo despertar o interesse pelas disciplinas de ciências espaciais. A Escola Judite Leal Costa já participa da olimpíada pelo terceiro ano. Em 2012 eles conseguiram dois medalhistas. Todo o 5º ano participou dessa vez e tiveram mais ganhadores. A escola fez as inscrições pelo site e em maio os alunos fizeram a prova que a OBA envia por e-mail. “Somos cadastrados no site porque a Secretaria de Educação já havia nos orientado nos anos anteriores. E então aplicamos a prova em sala de aula, depois enviamos as provas pelos CORREIOS, conforme somos orientados, e aguardamos os resultados. Agora ficamos assim, extremamente orgulhosas de ter em nossa escola esses alunos medalhistas”, exclamou a gestora, Josefa Cristina Evangelista. Os alunos Anderson das Neves, Maria Rita Carvalho, Emilly Souza, Ana Alice Carvalho e Alane Grazielle foram os ganhadores de medalhas da OBA pela escola. Todos demonstraram felicidade por estarem com as medalhas no pescoço. Maria Rita, uma menina de olhos vivos e fala convincente, disse que se sentiu preparada para ser uma das vencedoras desde o dia em que a sua professora anunciou o concurso. “Desde o primeiro dia em que a pró anunciou na sala eu fiquei preocupada em estudar. Na verdade, eu não sabia o que era astronomia, mas me senti feliz em saber depois que iria fazer o concurso e aí eu me preparei de verdade, prestei atenção no que ela ensinava, estudava em casa e hoje estou aqui com minha medalha de prata. Minha mãe ficou muito orgulhosa de mim”, vibrou Maria Rita. Falar em astronomia, astronáutica, parece estranho para crianças que só ouviam do assunto se prestassem atenção em alguma rara notícia nos jornais. Ou que lesse a revista em quadrinhos da Turma da Mônica, em que há o personagem Astronauta, ... Leia Mais »

Programação especial do mês das crianças mobiliza 70 mil alunos

noticias

        O mês das crianças será de muita comemoração para os alunos da rede municipal de ensino de Salvador. Com o objetivo de valorizar a criança como um ser integral, garantindo-lhes o direito ao lazer e atividades saudáveis, a Secretaria Municipal da Educação (SMED) lança o projeto “Ser criança não é brincadeira”. Durante todo o mês de outubro, diversas atividades recreativas e culturais vão beneficiar 70 mil crianças. Nos dias 08, 09, 20, 21, 22, 23, 24, 29, 30 e 31, alunos de diversas unidades escolares vão passear de metrô. Durante o passeio, realizado das 8h às 10h30 e das 13h às 16h30, eles conhecerão um pouco mais da história de Salvador. Neste domingo (12), a programação do projeto Ruas de Lazer no Dique do Tororó e no Farol da Barra também será especial por conta do Dia das Crianças. O espetáculo teatral “Ser criança não é brincadeira”, que tem como elenco alunos educação infantil ao 5º ano de escolarização das escolas municipais Nossa Senhora dos Anjos (Brotas), União Comunitária (Vila Rui Barbosa) e Úrsula Catarino (Plataforma), abordará os direitos da criança de forma lúdica e criativa e será apresentado no Centro Cultural de Plataforma nos dias 16 e 17; no Teatro Vila Velha, nos dias 20 e 21; e no Teatro ISBA, no dia 30, sempre às 9h e às 14h. Os alunos também vão assistir a espetáculos teatrais como “5 gols pela cultura”; “O Arraiá do Toinho – O Casamento de dona Santinha” e a “A Casa – Uma outra História de Amor”, no Teatro ACBEU, e “Buzum”, um teatro infantil dentro de um ônibus, que será montado na sede da SMED, no Parque Solar Boa Vista, nos dias 16, 17, 20 e 21, das 8h30 às 11h e das 13h30 às 17h. Dia de Festa – De 20 a 24 de outubro, no Parque Solar Boa Vista, a SMED realiza o projeto Dia de Festa. A programação inclui apresentações de produções artísticas e culturais realizadas pelas unidades escolares e atividades recreativas para os alunos. No dia 23, às 14h, no Teatro da Universidade Estadual da Bahia (UNEB), no Cabula, os vencedores do Prêmio Jorge Amado de Literatura serão premiados. Nos dias 13 e 14h, das 14h às 17h, no Teatro ... Leia Mais »