Arquivos de Tag: Escolas

Enem: Inep divulga resultado de treineiros

secretaria enem

Andreia Verdélio O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) divulgou hoje (8) o resultado individual para estudantes que fizeram o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) para fins de autoavaliação, os treineiros. O resultado está disponível na página do participante, no portal do Enem. Ao todo, 924.519 pessoas se inscreveram no Enem 2015 apenas para avaliar conhecimentos. São menores de 18 anos, no primeiro dia de realização das provas, que não concluíram o ensino médio em 2015. A divulgação 60 dias após a veiculação dos resultados para os demais participantes, ocorrida em 8 de janeiro, está prevista no edital do exame. As provas – realizadas nos dias 24 e 25 de outubro – avaliaram as áreas de ciências humanas e suas tecnologias, ciências da natureza e suas tecnologias, linguagens, códigos e suas tecnologias e matemática e suas tecnologias, além da redação, que teve como tema A persistência da violência contra a mulher na sociedade brasileira. Leia Mais »

Programa A TARDE Educação chega a escolas de Piritiba

650x375_ivan-cedraz-e-representantes-de-a-tarde_1607239

*Por Paula Pitta Os alunos do município de Piritiba (a 320 quilômetros  de Salvador) terão mais um recurso de aprendizagem quando retornarem do recesso escolar, no dia 15 de fevereiro. A partir desta data, oito escolas da cidade vão passar a utilizar o jornal A TARDE como ferramenta de apoio pedagógico, beneficiando 344 estudantes do ensino fundamental. A iniciativa faz parte de uma parceria do governo municipal com o programa A TARDE Educação. O convênio foi assinado nesta quinta-feira, 4, entre o prefeito de Piritiba, Ivan Silva Cedraz, e o presidente do Grupo DX, Crezo Dourado Suerdieck. O gerente de Circulação, Luiz Bernardes, e a secretária de Redação, Hilcélia Falcão, também estiveram presentes ao encontro. O A TARDE Educação propõe o uso do jornal como instrumento de aprendizagem por meio da leitura crítica e discussão sobre notícias da Bahia, Brasil e mundo. O periódico também permite que os estudantes aprofundem seus conhecimentos sobre temas como cidadania, direitos humanos, segurança, política, esportes e cultura, entre outros. Vantagens Para o prefeito Ivan Cedraz, o principal ganho dessa metodologia é manter os alunos atualizados. “A escola precisa ficar atualizada, e o jornal aproxima os alunos da realidade”, defende. Ele também destaca a contribuição da iniciativa no estímulo à leitura. Para ajudar a alcançar melhores resultados, o Grupo A TARDE ainda fornece assessoria pedagógica a municípios parceiros do programa. Atualmente, cerca de 40 cidades baianas utilizam o  jornal em salas de aula. Leia Mais »

Percentual de jovens negros no ensino médio dobra em 13 anos

2afe82df-6a65-49bc-8b95-4d6e08516bed

Mais da metade dos brasileiros de 15 a 17 anos que se autodeclaram pretos ou pardos estavam no ensino médio (51%) em 2014, segundo levantamento feito pelo Instituto Unibanco com base nos dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) divulgada na semana passada. Em 2001, esse percentual era de 25%. No mesmo período, a proporção de jovens brancos no ensino médio cresceu 14 pontos percentuais – chegando a 65%. De acordo com informações da Agência Brasil, em 2001, mais da metade (53%) dos alunos negros de 15 a 17 anos ainda estava estudando na primeira etapa da educação básica, ou seja, estavam atrasados em relação ao que era esperado para a sua faixa etária. Na última Pnad, o percentual caiu 21 pontos e hoje a proporção de jovens negros ainda atrasados no fundamental é de um terço (32%) – entre os brancos, esse percentual é de 22%. No total da população de 15 a 17 anos sem estudar, 19% já completaram o ensino médio. Na população branca, esse percentual é de 28%, superior ao verificado entre os negros (15%). Ainda de acordo com o levantamento, 57% dos negros que estão fora da escola não completaram o ensino fundamental. Entre os brancos, o percentual de jovens de 15 a 17 anos fora da escola é de 43%. Leia Mais »

SEDUC promove semana da criança nas escolas da rede municipal

IMG_20151006_145431837

A Semana da Criança na Rede Municipal de Ensino foi marcada por diferentes atividades pedagógicas. Desde a segunda-feira, 05, tanto as escolas como as creches do município proporcionaram aos educandos momentos lúdicos, aproximando, para o ambiente escolar, a família e a comunidade. Brincadeiras, peças teatrais, apresentações de painéis, arte, música, dança, esportes e atividades externas como as realizadas no Cine Laguna foram algumas das atividades propostas e executadas pelos professores. Segundo a secretária da Educação (SEDUC) Lúcia Almeida, a escola é um ambiente onde a criança começa a compreender o próprio comportamento e identidade, pois convive em um espaço de trocas, sejam elas físicas e/ou emocionais. “A nossa responsabilidade é muito grande quanto à formação desse aluno em um ambiente, extremamente, heterogêneo. A função do professor é de extrema importância para o crescimento cognitivo destes jovens, pois é a partir daí, por meio da postura, conduta, valores e metodologias que estaremos desenvolvendo capacidades interdisciplinares para que o educando construa, com sucesso, a sua vida escolar na perspectiva de uma Educação Cidadã”, finalizou. Fonte: SEDUC Leia Mais »

Grandes educadores são homenageados em escola de São Felipe

Darcy Ribeiro é um dos homenageados

Darcy Ribeiro, Paulo Freire, Florestan Fernandes e Anísio Teixeira foram grandes nomes da educação brasileira. Defensores de uma educação pública de qualidade e de um sistema de ensino que tenha o aluno como base do aprendizado, eles tiveram – e ainda têm – forte influência nos métodos educacionais contemporâneos. Seja em escolas da rede pública ou privada, os pensamentos destes quatro educadores são usados como base para o projeto político pedagógico. Na cidade de São Felipe (no Recôncavo baiano, a 178 km de Salvador), a Secretaria Municipal da Educação foi além de aplicar os ensinamentos destes mestres em sala de aula e prestou uma homenagem aos quatro grandes pensadores. Na recém-reformada Escola Municipal Presidente Médici, as quatro salas da educação infantil do local receberam, cada uma, os nomes de Darcy Ribeiro, Paulo Freire, Florestan Fernandes e Anísio Teixeira. A homenagem, segundo explica o secretário da Educação do Município, destaca a importância destes educadores para as políticas educacionais vigentes hoje no país e, em especial, dos ideais para se chegar à educação integral. “Eles pensaram na educação integral a partir de um conjunto de ideias e estratégias”, diz. Além disso, a escola traz uma menção honrosa a Jaqueline Moll, que é uma das idealizadoras do programa Mais Educação, do governo federal. “A estratégia do Mais Educação é fantástica. As oficinas do programa fazem com que o estudante permaneça mais tempo na escola e não fique na rua. E o melhor, ele vai ficar na escola desenvolvendo atividades que gosta, criando um vínculo maior com a comunidade escolar”, destaca. Em São Felipe, a Escola Municipal Raymundo dos Santos Ferreira já funciona em tempo integral, se antecipando a muitos municípios. Nesta unidade de ensino, as aulas e as atividades artísticas, culturais e esportivas para estudantes do Fundamental I acontecem em ambos os turnos. A partir do próximo ano, serão os estudantes da Escola Municipal Presidente Médici que irão passar a estudar em tempo integral. Conforme o Secretário da Educação de São Felipe, Pedro Araújo Júnior, um desafio para ampliar a educação integral, no estado, é quebrar a ideia de turno e contraturno, como foi feito no Raymundo Ferreira e previsto para o Presidente Médici. “A ideia de turno e contraturno pode oferecer ao estudante a sensação de que o ... Leia Mais »

Projeto sobre cultura Hip Hop é encerrado com festival de arte

FestivalBigBands (2)

Oficinas e grafite, hip hop e música, além de apresentações culturais, marcaram o encerramento do “Projeto BigBands Vai à Escola” na tarde desta quarta-feira (10), no Teatro Solar Boa Vista. A iniciativa, realizada durante quatro meses em escolas da rede municipal de ensino, é do Fundo de Cultura do Estado da Bahia, em parceria com a Secretaria Municipal da Educação de Salvador. O festival de encerramento contou com a participação do rapper pernambucano Zé Browm e da banda Fúria Consciente. O projeto envolveu alunos, gestores, educadores e toda a comunidade das Escolas Municipais Teodoro Sampaio, Santo Antônio das Malvinas, Padre José Anchieta e Julieta Viana com oficinas que atenderam linguagens artísticas que se alinham ao movimento hip hop. As oficinas foram ministradas por artistas de destaque no cenário soteropolitano do hip hop como o DJ Leandro e DJ Jarrão; o B. Boy Ananias, os MCs Vivi Akuabá e Yogi Nkrumah e com o arte-educador e grafiteiro Lee 27. O objetivo do projeto é educar através da cultura e para a cultura. Assim como no ensino da arte no currículo escolar, o projeto de hip hop também não visa à formação de músicos, dançarinos e grafiteiros. A ideia é beneficiar os alunos com práticas artísticas e sociais no desenvolvimento de crianças e adolescentes, tanto para a sua sociabilidade, quanto para o desempenho cognitivo em atividades de ensino e aprendizagem de outras matérias Leia Mais »

TECNOLOGIA: Videogames são aliados na em atividades pedagógicas

CR-dentro-casa-beneficios-videogame-criancas-D-732x412

Durante muito tempo, os videogames foram vistos apenas como entretenimento. Um tipo de diversão que muitas vezes ganhou destaque apenas com foco no conteúdo violento de alguns jogos. Nos EUA, a proliferação dos games levou políticos de projeção, como a ex-primeira-dama Hillary Clinton, a culpar os jogos por “roubar a inocência de nossas crianças”. Essa percepção, no entanto, vem se modificando e muitos educadores defendem a incorporação dos jogos eletrônicos, ou ao menos de sua lógica, à sala de aula. Uma das principais pesquisadoras do tema no Brasil, Lynn Alves, da Universidade do Estado da Bahia (Uneb), afirma que a imersão provocada pelo videogame e as possibilidades narrativas permitem ao aluno quebrar a rigidez do ambiente escolar e lidar de maneira lúdica com os temas do currículo. Para que isso funcione, no entanto, o game não pode perder justamente as características que atraem tantos usuários. “O jogo não pode se transformar num livro eletrônico. Se isso acontecer, o objetivo se perdeu”, aponta. Veja abaixo exemplos de como os games podem ser incorporados ao projeto pedagógico. 1. Quadribol na educação física No preparo das suas aulas de educação física, Archimedes de Moura Junior, professor da rede estadual de São Paulo, sempre trazia sob o braço o tapete de dança, acessório para o Playstation 2, que aplicava com os alunos. Posteriormente, adaptou para a classe o Quadribol, modalidade esportiva dos bruxinhos da série Harry Potter. Com videogame e TV próprios, Archimedes deixava que estudantes da 4ª série do ensino fundamental jogassem dois minutos do game Harry Potter: Quidditch World Cup e, na aula seguinte, os conhecimentos adquiridos na tela eram colocados em prática na quadra, com direito a chapéu de bruxo e acessórios. O projeto deu tão certo que, no ano seguinte, integrou-se a outras disciplinas, que passaram a abordar os livros da autora da série Harry Potter, J. K. Rowling, inspiradas pelas aulas de educação física. 2. A Revolta dos Alfaiates vira game Na Escola Municipal Antônio Euzébio, em Salvador, as crianças passaram a usar o game Búzios: ecos da liberdade como auxílio nas aulas de história e cultura afro – o enredo do jogo trata da Revolta dos Alfaiates no final do século XVIII. Antes, porém, os professores tiveram de entender e manusear o jogo. “Aqueles ... Leia Mais »

A democracia flagelada: como o golpe de 64 afeta o Brasil 50 anos após ter sido aplicado

Maria  Deda

Por Maria Lemos O Golpe Militar brasileiro trouxe terríveis sequelas na época em que foi aplicado. Dentre elas, as mais expressivas são: a violação dos direitos humanos, a repressão àqueles que iam de encontro às absurdas propostas do regime e a censura à expressão cultural e à imprensa. No entanto, algumas dessas sequelas perduram (ainda nos dias atuais) não só na conduta de autoridades públicas, mas também nas ações e pensamento de muito de nós brasileiros. Não é incomum ver estampadas nas revistas e jornais ou na televisão (basta ligá-la em determinadas emissoras na hora do almoço e aproveitar a carnificina) notícias que denunciam a sociedade extremamente violenta em que vivemos. Esse fator aliado à ineficaz atuação das forças policiais faz surgir os “justiceiros”. Estes que se sentem no dever de maltratar física e psicologicamente um outro, acusado de cometer um crime. Refletindo sobre tais incidentes (tão ausentes no nosso dia a dia) uma das conclusões às quais chegamos é que essa agressividade social advém das maneiras “efetivas” de punição que nos foram ensinadas durante a Ditadura. Observe, caro leitor, que a nossa polícia é militar. E pode ser que, na Pituba, ela tenha atitudes menos agrestes, mas em bairros populares, tenha certeza de que ela adquire uma conduta muito semelhante à dos militares na época da Ditadura. Basta lembrar, por exemplo, do sumiço do pedreiro Amarildo de Souza. Durante o Golpe Militar no Brasil, os direitos não eram respeitados, com a instituição do AI-5, a situação tornou-se ainda mais caótica. A imprensa era censurada, a cultura era censurada, embora o Brasil, no fator cultura, tenha sido palco de grandes expressões artísticas de protesto como a de compositores como Chico e Caetano, por exemplo. Para os ditadores, qualquer tipo de ideologia que ia de encontro aos ideais militares era uma “ameaça” comunista que comprometeria a democracia. No entanto, pense comigo: que democracia é essa? E a que vivemos atualmente, será que é real? É lógico que nesse ponto temos avançado extraordinariamente ao longo da história. Por exemplo, se eu estivesse escrevendo esse texto durante a ditadura, eu simplesmente desapareceria (assim como Stuart Angel e tantos outros). Os avanços culturais ocorridos na Ditadura não compensam as sequelas deixadas por ela. Porém, é importante – ainda hoje – ... Leia Mais »

Alunos de escola municipal de Juazeiro são medalhistas na 17ª Olimpíada Brasileira de Astronomia

gmcile

Não é de hoje que a rede pública municipal de Juazeiro vem ganhando concursos na educação. Recentemente alunos foram premiados em um concurso da TV São Francisco e agora a Escola Judite Leal Costa teve estudantes medalhistas de prata e bronze na 17ª Olimpíada Brasileira de Astronomia e Astronáutica (OBA). De acordo com a organização do evento (Sociedade Astronômica Brasileira, em parceria com a Agência Espacial Brasileira), a OBA reuniu cerca de 800 estudantes participantes de escolas públicas e privadas e tem como objetivo despertar o interesse pelas disciplinas de ciências espaciais. A Escola Judite Leal Costa já participa da olimpíada pelo terceiro ano. Em 2012 eles conseguiram dois medalhistas. Todo o 5º ano participou dessa vez e tiveram mais ganhadores. A escola fez as inscrições pelo site e em maio os alunos fizeram a prova que a OBA envia por e-mail. “Somos cadastrados no site porque a Secretaria de Educação já havia nos orientado nos anos anteriores. E então aplicamos a prova em sala de aula, depois enviamos as provas pelos CORREIOS, conforme somos orientados, e aguardamos os resultados. Agora ficamos assim, extremamente orgulhosas de ter em nossa escola esses alunos medalhistas”, exclamou a gestora, Josefa Cristina Evangelista. Os alunos Anderson das Neves, Maria Rita Carvalho, Emilly Souza, Ana Alice Carvalho e Alane Grazielle foram os ganhadores de medalhas da OBA pela escola. Todos demonstraram felicidade por estarem com as medalhas no pescoço. Maria Rita, uma menina de olhos vivos e fala convincente, disse que se sentiu preparada para ser uma das vencedoras desde o dia em que a sua professora anunciou o concurso. “Desde o primeiro dia em que a pró anunciou na sala eu fiquei preocupada em estudar. Na verdade, eu não sabia o que era astronomia, mas me senti feliz em saber depois que iria fazer o concurso e aí eu me preparei de verdade, prestei atenção no que ela ensinava, estudava em casa e hoje estou aqui com minha medalha de prata. Minha mãe ficou muito orgulhosa de mim”, vibrou Maria Rita. Falar em astronomia, astronáutica, parece estranho para crianças que só ouviam do assunto se prestassem atenção em alguma rara notícia nos jornais. Ou que lesse a revista em quadrinhos da Turma da Mônica, em que há o personagem Astronauta, ... Leia Mais »