Arquivos de Tag: Leitura

#TEM MAIS GENTE LENDO: Página em rede social incentiva a leitura em lugares públicos

TEM MAIS GENTE LENDO

Existem dados mundiais que afirmam que brasileiro não estão lendo como deveriam. Mas em contradição a essa estatísticas diariamente é possível encontrar nos mais diversos lugares (pontos de ônibus, bancos, praças, praias…) pessoas exercitando a leitura. Para mostrar que brasileiro ainda tem o habito de ler dois amigos utilizaram o facebook para divulgar fotos e vídeos de pessoas lendo livros físicos e digitais em espaços públicos dos grandes centros urbanos. Tudo começou com uma hashtag criada por Sérgio Miguez, um dos criadores. “Sou usuário do Metrô de São Paulo e, de uns tempos para cá, chamou a minha atenção o número surpreendente de passageiros com um livro nas mãos. Comecei a fotografar com o meu celular e, com a hashtag #temmaisgentelendo, passei a publicar as fotos nas redes sociais”, conta. Amigo de Miguez, Hamilton dos Santos decidiu aderir à hashtag e passou a publicar, no Facebook, suas fotos de pessoas lendo no metrô de SP. A novidade recebeu ótima audiência. “Começamos no metrô, mas já estamos expandindo o projeto: agora, nossas câmeras também vão flagrar pessoas lendo em outros espaços públicos, como parques, ônibus e praias”, comenta. Já são mais de 800 fotos publicadas e compartilhadas nas redes sociais pelo projeto. Para quem gosta de livros e literatura, os criadores preparam uma novidade. Em março será lançado um site que, além de fotografias, terá conteúdos ligados à leitura, como “Rankings dos Mais Lidos no Metrô de SP”, pesquisas sobre hábito de leitura, ensaios e entrevistas. Para conhecer mais sobre o projeto e acompanhar as novidades, basta acessar www.facebook.com/temmaisgentelendo..   Com informações do Catraca Livre. Fotos reprodução facebook Leia Mais »

Olimpíada de Leitura movimentam produções dos alunos em Itaberaba

américa dourada

Leitura, escrita e interpretação são alguns dos desafios dos professores nas séries iniciais. Pensando em estimular e driblar essa dificuldade, foi realizada na cidade de Itaberaba, interior da Bahia, a 1ª Olimpíada de Leitura da Escola Presidente Tancredo de Almeida Neves. Segundo a Coordenadora Pedagógica da instituição Nicilângela Patrícia Campos além do estimulo a leitura, a atividade tem como proposta o incentivo à discussões. “É necessário fazer com qu os alunos compreendam a informação, não é apenas ler por ler.  Um jornal levado para a sala de aula facilita que criemos neles senso crítico e opinião a cerca do que se ler”, afirma. EVENTO USA JORNAL COMO FERRAMENTA Embora seja  voltada para a leitura, de acordo com a pedagoga, a atividade abraçou todas as áreas do conhecimento. “Durante a olimpíada uma das principais ferramentas utilizadas foi o jornal impresso.Como a ferramenta abrange diversos temas, professores de várias disciplinas puderam utiliza-lo. O jornal é multidisciplinar e quando os professores utilizam ele de uma forma lúdica se torna atrativo e companheiro para todas as aulas. A presença do jornal na sala pode ser comparada com a presença do celular há tempos atrás. É inovação.” A 1ª Olimpíada de Leitura da Escola Presidente Tancredo de Almeida Neves acontece em parceria com o programa A TARDE Educação, braço social do grupo A Tarde, que tem como proposta a capacitação de professores  para atuarem sob a óptica da educomunicação. Leia Mais »

Palco de Leitura e outras práticas construtoras de novos leitores

leitura-alejandra-acosta

* Por Maria da Conceição Souza Filha O aluno deve alcançar o prazer pela leitura e ser capaz de entender o que leu. No entanto percebe-se que o grande desafio dos professores das séries iniciais, é criar no aluno o gosto e até mesmo o interesse pelo ato de ler. Mesmo fazendo parte de uma sociedade letrada, impregnada de materiais escritos, variados veículos de comunicação, uma abrangente tecnologia e informações de todo tipo os desafios continuam. Sendo a escola parte desta sociedade letrada, entende-se que a leitura deva acontecer de forma motivadora no cotidiano escolar desde a Educação Infantil. Levando em consideração o papel importante da leitura os educadores devem buscar novas práticas de leitura ou até mesmo resgatar algumas já usadas dando uma nova roupagem, a fim de possibilitar a motivação e o interesse pelo ato de ler. Ler com autonomia: reflexiva, participativa e critica de maneira a estabelecer uma relação do seu cotidiano através do que lê. Solé (2003) considera importante desenvolver diferentes atividades com a leitura de forma motivadora, visando despertar o interesse do aluno, uma vez que a aprendizagem da leitura só tem sucesso, quando o aluno é despertado a desenvolver o prazer por ela. Na perspectiva de motivar e desenvolver nos meus alunos o prazer e o interesse pela leitura, sempre procurei promover atividades significativas e motivadoras com diferentes práticas e materiais. Já desenvolvi diferentes práticas de leituras ao longo dos 28 anos de sala de aula como: roda de leitura, oficina de leitura, parada da leitura, varal de leitura, PALCO DE LEITURA, mensageiro de leitura. Este ano estou resgatando quatro práticas: o palco de leitura, roda de leitura, o varal de leitura e o mensageiro de leitura. O palco de leitura tem rendido momentos espetaculares de descobertas e o prazer de ler notícias do jornal, além de outros textos trazidos peles alunos, mas o ponto alto é ler no jornal. Tem sido gratificante presenciar suas descobertas de fatos que lhes chamam atenção, logo querem compartilhar com os colegas e comigo. Tenho visto muitos alunos em momentos livres fazendo leitura com um colega. O nosso palco é muito simples, apenas um cartaz no fundo da sala com recortes de diferentes tipologias textuais, no centro o nome palco de leitura, duas cortininhas ... Leia Mais »

ENEM: Resultado da redação mostra fragilidade na leitura e na escrita, dizem professores

secretaria enem

Na última edição do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), apenas 250 pessoas tiraram a nota máxima 1000 – enquanto 529.374 zeraram a redação. Os números, segundo especialistas, revelam fragilidade no ensino e na formação de jovens que, cada vez menos, conseguem articular ideias próprias. Faltam leitura e prática de escrita. “É um número expressivo. Estamos falando de meio milhão de jovens que tiraram zero. A maioria não conseguiu sequer se prender ao tema. O nosso aluno do ensino médio é aquele que não consegue ler o tema proposto, não está conseguindo escrever minimamente dentro do que foi pedido”, analisa o professor do Colégio JK, em Brasília, Marcelo Freire. O balanço divulgado pelo Ministério da Educação mostra que 217.339 zeraram a prova por fugir ao tema, esse foi o principal motivo para a anulação. Para Freire, os números devem servir de alerta também para a outra ponta. Dos quase 6,2 milhões que fizeram a prova, apenas 250 conseguiram a nota máxima. Na edição anterior, em 2013, entre os 5 milhões que fizeram o exame, 481 obtiveram a nota 1000 e 106.742 zeraram. Ele explica que o aluno nota máxima é o que entende os critérios do Enem, que se prepara, mas não se trata “de um novo Machado de Assis, de um superdotado. É bom aluno, que está preparado para falar sobre qualquer tema. São poucos os que podem apresentar o que se espera do bom aluno”, diz. O resultado pode, no entanto, servir para que haja uma mudança no sistema de ensino, segundo Freire. O coordenador de Redação do Colégio Sigma, Eli Guimarães, concorda que as escolas passarão a dar mais valor à produção textual. Ele defende que não apenas a disciplina de português, mas todas as disciplinas trabalhem a leitura de vários gêneros textuais. “O texto, seja ele qual for, verbal e não verbal, tem que ser o elemento central no processo de ensino e aprendizagem”, diz. Segundo Guimarães, para escrever bem, é preciso praticar. Os alunos devem escrever e ter os textos corrigidos. “Não podemos deixar o problema textual na leitura, mas na escritura. Precisamos de uma correção orientada. Os alunos devem produzir textos regularmente e esses textos devem ser corrigidos de forma adequada. Não adianta escrever 20 redações sem que elas sejam ... Leia Mais »

Brasil ocupa 6º lugar em leitura

estudantes14

Agência O Globo O Brasil aparece na sexta posição,entre 15 países da América Latina e do Caribe, numa avaliação sobre a capacidade de leitura e escrita de alunos do 4.º e7.º anos do ensino fundamental,divulgada pela Organização das Nações Unidas para Educação, Ciência e Cultura(Unesco). Em matemática, os estudantes brasileiros do 4.º ano do fundamental tiveram desempenho ligeiramente melhor,deixando o país na quinta posição, enquanto no 7.º ano o Brasil ficou na sétima colocação. O Chile lidera o ranking nas duas disciplinas e séries avaliadas; a República Dominicana está na lanterna. O Terceiro Estudo Regiona Comparativo e Explicativo( Terce),como é chamada a avaliação,consiste num teste aplicado no ano passado, numa amostra de escolas públicas e particulares representativa de cada um dos 15 países. A pontuação brasileira melhorou em todos os segmentos,em relação ao exame anterior, de 2006, batizado de Segundo Estudo Regiona Comparativo  eExplicativo (Serce). O maior avanço ocorreu em matemática, entre os alunos do 4.º ano, cuja nota subiu de 505,03 para 539, 54, um acréscimo de 34,51 pontos. O líder Chile obteve 582,44. De acordo com a Unesco, porém, o Brasil ficou estagnado em leitura, no caso do 7.º ano do fundamental, já que o aumento de 3,61 pontos não foi considerado estatisticamente relevante. O presidente do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), Francisco Soares, disse que os resultados do Terce são semelhantes aos revelados pela Prova Brasil e pelo Sistema de Avaliação da Educação Básica (Saeb). Ou seja, mostram que o Brasil está melhorando, mas continua longe do ideal. O levantamento estima também o percentual de estudantes por nível de aprendizagem, numa escala de 1 a 4 , que tem ainda o nível inferior a 1. Leia Mais »

Estudante da rede municipal, com síndrome rara, lança livro em Salvador

menino-lendo

Nem mesmo uma síndrome rara que provoca envelhecimento precoce é capaz de distanciar Sara Silva Gonçalves, 13 anos, do sonho de se tornar uma grande escritora. Aluna da rede municipal de ensino, a adolescente é atendida pelo programa de Educação Inclusiva da Secretaria Municipal da Educação (SMED) e lança nesta sexta-feira (05), às 8h30, seu livro “A Bruxinha Mauricéia”, sua segunda obra. O lançamento faz parte da “Mostra de experiências educacionais inclusivas: afetividade e práticas pedagógicas”, que será realizado das 7h30 às 12h, na Reitoria da Universidade Federal da Bahia (UFBA), no Canela. O secretário municipal da Educação, Jorge Khoury, fará a abertura do evento. A programação inclui ainda palestras, debates e relatos de experiências. O objetivo da mostra é socializar experiências educacionais inclusivas de professores da sala comum, da sala de recursos multifuncionais, classes hospitalares da rede pública municipal de Salvador e centros de atendimento educacional especializado, que revelem a garantia do direito à educação com qualidade e equidade, centradas no respeito e valorização das diferenças e à diversidade no contexto escolar. O evento também tem como intuito refletir sobre a escola, sua função social e formativa de promover educação e cuidado com equidade na formação do educando, além de socializar experiências de professores da rede, através do relato de experiências exitosas no processo de inclusão dos alunos, público-alvo da Educação Especial na escola regular e alunos hospitalizados. Leia Mais »

Gabinete Português de Leitura realiza “Tributo a Língua Portuguesa”

leitura

O Gabinete Português de Leitura vai sediar entre os dias 11 e 12 de dezembro a quarta edição do “Tributo a Língua Portuguesa”. Um dos objetivos da iniciativa é sensibilizar, informar, difundir conhecimentos e trocar experiências, para o fortalecimento das relações culturais entre Brasil, Portugal e países lusófonos. O encontro conta com workshop de turismo, painel cultural e literário, lançamento de livros e mostra de gastronomia portuguesa. Dentre os temas de debates estão a importância da cultura e do turismo na difusão da Língua Portuguesa, turismo como mola propulsora na economia Brasil-Portugal, além da apresentação de Fado e Bossa Nova, com Nuno da Câmara Pereira e artistas convidados. As escritoras Paloma Amado, Mabel Veloso e Gesse Gessy, além do cantor Jota Veloso integram a agenda de programação do evento. Para participar, gratuitamente, é necessário acessar o site www.tributoalinguaportuguesa.com ou entrar em contato com o GPL (71 3329 2733), www.gplsalvador.com.br , onde se encontra toda a programação completa do evento. Foto Ilustrativa Leia Mais »

A TARDE EDUCAÇÃO: Projeto fecha parceria com Maragogipe

volta-aulas-20142-claudionor-junior-ascomeducacao-5

O município de Maragogipe firma parceria com o programa A TARDE Educação, visando a ampliar ferramentas didáticas no município tendo o jornal como protagonista O programa, que trabalha com a linha da educomunicação, propõe disseminar novas formas de utilizar o jornal dentro das salas de aula, incentivando a leitura e a escrita dos alunos. Para o secretário da educação Adilton Ferreira, levar o jornal à sala de aula é levá-lo também às família dos alunos e despertarmos estudantes a consciência da importância do veículo para se manter informado. “É muito importante que eles tenham a cultura de folhear as páginas dos jornais e entender que, o que está escrito faz parte do cotidiano deles. É um veículo que muitos pais desconhecem, às vezes porque não sabem ler ou não tiveram acesso. Agora seus filhos passarão a ter acesso a partir desta parceria. O A TARDE Educação para mim é uma maneira que encontramos de seduzir esses novos leitores”, afirma. Leia Mais »

Professora usa jornal para incentivar a leitura no Lobato

capa

Por Ulzeni Daltro JeanedeJesusNascimentotem16anos,é estudante do 8º ano do Colégio Estadual Tereza Helena Mata Pires, no bairro do Lobato em Salvador e, há três meses, acreditava que a leitura de jornais era apenas para os ricos. “Lá em casa não tinha jornais. Eu via, nas novelas, os ricos lendo e pensava que era só para eles. Eu tinha vergonha de ler jornal. Achava que não era para mim.Aprendi a ler jornal por causa da professora. Ela me fez entender que é para todo mundo”, disse a estudante. A professora a quem ela se refere é a de língua portuguesa, Mércia Abreu, que utiliza exemplares do MASSA! em um projeto de leitura cujo intuito é melhorar aspectos relacionadas à leitura dos alunos do 8º ano. Ao se deparar com dados oficiais que apontavam problemas relacionados à leitura, a professora iniciou uma busca pelo que poderia levar à sala de aula para trabalhar com os alunos. Ela então aplicou dois questionários escritos, fez uma oficina e uma roda de conversa e chegou à conclusão de que parte dos alunos lia jornal porque os pais liam e queriam que eles fizessem o mesmo. Mércia Abreu levou exemplares dos principais jornais da cidade para fazer uma leitura comparativa, além de livros e revistas, e percebeu que os alunos gostavam do MASSA!e não conheciam os impressos mais tradicionais. “Hoje, eles continuam gostando do MASSA! porque aborda conteúdos de interesse deles com uma linguagem que eles conseguem entender bem”, explicou a professora Mércia Abreu, que faz mestrado profissional em Letras pela Universidade Federal da Bahia (Ufba). “Nesse tipo de leitura em que ocorre a identificação do leitor com o texto, o aluno é sujeito do seu próprio conhecimento”, completou ela. Leia Mais »

Paulo Afonso realiza “Primeira Bienal do Livro”

4_28

Entre os dias 5 e 7 de novembro a cidade de Paulo Afonso será palco para a “1º Bienal do Livro de Paulo Afonso”.  o evento que pretende reunir música, literatura, poesia, dança e outras vertentes artísticas homenajeia também os escritores João Ubaldo Ribeiro, Ariano Suassuna e Antônio José Alves de Souza. O evento ainda contará com espaços para discussão e mesas sobre as reformas ortográficas, regionalismo, literatura regional dentre outros temas que darão direito a certificados de participação. Confira a programação: Dia 5 de Novembro – Auditório do Memorial Chesf 19h – Abertura da 1ª Bienal do Livro de Paulo Afonso Homenagens a João Ubaldo Ribeiro, Ariano Suassuna e Antônio José Alves de Souza (autor do primeiro livro sobre Paulo Afonso, em 1954). 20h15 – Abertura do Salão dos Escritores Atividades culturais livres: música, poesia, depoimentos de escritores, cordel. Estas atividades também serão desenvolvidas neste Salão dos Escritores nos dias 6 e 7 de novembro, das 8 às 11h30 e das 14 às 16h30. 6 de Novembro – Auditório do Memorial Chesf 9h às 9h40 – Mesa Redonda 1 – Tema: O cangaço na literatura regional Palestrante – João de Sousa Lima Participação de dois outros escritores 9h40 às 10h – debate – perguntas. 10h às 11h – Auditório do Memorial Chesf Palestra, recital e lançamento do livro “O galope de Ulisses” do poeta José Inácio Vieira de Melo, de Feira de Santana, como participação do Sesc – Ler Paulo Afonso. 14h às 14h40 – Mesa Redonda 2 – Auditório do Memorial Chesf Tema: A Chesf e o desenvolvimento regional (ou O Nordeste antes e depois da Chesf) Palestrante – Antônio Galdino da Silva Participação de dois outros escritores 14h40 às 15h – debate – perguntas. 15h às 15h40 – Mesa Redonda 3 – Auditório do Memorial Chesf Tema: Delmiro Gouveia, o desenvolvimento e a educação no sertão nordestino Palestrante – Professor Edvaldo Nascimento – Participação de dois outros escritores 15h50 às 16h10 – debate – perguntas. Dia 7 de Novembro – Auditório do Memorial Chesf 9h às 9h40 – Mesa Redonda 4 Tema: A palavra, instrumento do escritor e a Reforma Ortográfica Brasileira Palestrante – Professor Francisco Araújo Filho Participação de dois outros escritores 9h40 às 10h – debate – perguntas 14h30 – Solenidade ... Leia Mais »