Arquivos de Tag: Livro

Professor transforma paixão de ensinar em obra de ficção

Por Jair Mendonça  JR. O professor Raphael Martins transformou a paixão pelo ensino em obra de ficção. No livro “Minha escolha, ensinar”, ele conta a história de um professor que, apesar das dificuldades e situações inusitadas no interior de escolas, jamais pensou em desistir. Nesta entrevista, Martins propõe uma reflexão para a criação de uma nova escola e de metodologias renovadas. O que o levou a escrever esse livro?Atuo como professor há 12 anos e pude perceber as grandes dificuldades pelas quais passam os profissionais de ensino, isso sem contar com o esforço, muitas vezes solitário, de cada colega em tentar mudar uma situação que parece se perpetuar. Digo solitário, pois tenho a sensação de que novas ideias, novas metodologias de ensino parecem não ser bem aceitas por alguns profissionais que atuam no magistério há bastante tempo. O mercado não costuma se renovar e, percebe-se, que as teorias pedagógicas não conseguem suprir os anseios dos “jovens modernos”. Minha ideia é propor uma reflexão. O sr. como professor enfrentou barreiras para persistir em sua decisão?Diferente do personagem do livro, não tive nenhuma resistência familiar. As barreiras surgiram ao longo de minha atuação em determinadas escolas e universidades. Uma prática que se tornou comum em algumas instituições de ensino no Rio de Janeiro é o não pagamento de salário ao professor, o não cumprimento das leis trabalhistas e profissionais que aparentam um grande cansaço na árdua tarefa de educar. Na realidade da Universidade Federal da Bahia (UFBA) tem havido baixa procura por cursos de magistério. Como estimular os jovens a se apaixonarem pelo ensino?Não há atrativos instantâneos na carreira docente, isto é fato, entretanto, saber que você – professor – pode mudar a visão de mundo de um aluno é enriquecedor. Se no universo de 100 alunos por ano, você conseguir mudar a visão de 2, saiba que estes 2 farão a diferença mais tarde. Perdeu-se a crença de que o professor é agente de mudança, é preciso resgatar isso o mais rápido possível. Além dos salários baixos, que dificuldades enfrenta o professor?Muitas pessoas falam que não querem ser professor por uma série de razões externas, esquecendo-se, portanto, de voltar o olhar para dentro da escola. A sensação, de alguns colegas de profissão, é de que a equipe ... Leia Mais »

Estudante da rede municipal, com síndrome rara, lança livro em Salvador

Nem mesmo uma síndrome rara que provoca envelhecimento precoce é capaz de distanciar Sara Silva Gonçalves, 13 anos, do sonho de se tornar uma grande escritora. Aluna da rede municipal de ensino, a adolescente é atendida pelo programa de Educação Inclusiva da Secretaria Municipal da Educação (SMED) e lança nesta sexta-feira (05), às 8h30, seu livro “A Bruxinha Mauricéia”, sua segunda obra. O lançamento faz parte da “Mostra de experiências educacionais inclusivas: afetividade e práticas pedagógicas”, que será realizado das 7h30 às 12h, na Reitoria da Universidade Federal da Bahia (UFBA), no Canela. O secretário municipal da Educação, Jorge Khoury, fará a abertura do evento. A programação inclui ainda palestras, debates e relatos de experiências. O objetivo da mostra é socializar experiências educacionais inclusivas de professores da sala comum, da sala de recursos multifuncionais, classes hospitalares da rede pública municipal de Salvador e centros de atendimento educacional especializado, que revelem a garantia do direito à educação com qualidade e equidade, centradas no respeito e valorização das diferenças e à diversidade no contexto escolar. O evento também tem como intuito refletir sobre a escola, sua função social e formativa de promover educação e cuidado com equidade na formação do educando, além de socializar experiências de professores da rede, através do relato de experiências exitosas no processo de inclusão dos alunos, público-alvo da Educação Especial na escola regular e alunos hospitalizados. Leia Mais »

Professora usa jornal para incentivar a leitura no Lobato

Por Ulzeni Daltro JeanedeJesusNascimentotem16anos,é estudante do 8º ano do Colégio Estadual Tereza Helena Mata Pires, no bairro do Lobato em Salvador e, há três meses, acreditava que a leitura de jornais era apenas para os ricos. “Lá em casa não tinha jornais. Eu via, nas novelas, os ricos lendo e pensava que era só para eles. Eu tinha vergonha de ler jornal. Achava que não era para mim.Aprendi a ler jornal por causa da professora. Ela me fez entender que é para todo mundo”, disse a estudante. A professora a quem ela se refere é a de língua portuguesa, Mércia Abreu, que utiliza exemplares do MASSA! em um projeto de leitura cujo intuito é melhorar aspectos relacionadas à leitura dos alunos do 8º ano. Ao se deparar com dados oficiais que apontavam problemas relacionados à leitura, a professora iniciou uma busca pelo que poderia levar à sala de aula para trabalhar com os alunos. Ela então aplicou dois questionários escritos, fez uma oficina e uma roda de conversa e chegou à conclusão de que parte dos alunos lia jornal porque os pais liam e queriam que eles fizessem o mesmo. Mércia Abreu levou exemplares dos principais jornais da cidade para fazer uma leitura comparativa, além de livros e revistas, e percebeu que os alunos gostavam do MASSA!e não conheciam os impressos mais tradicionais. “Hoje, eles continuam gostando do MASSA! porque aborda conteúdos de interesse deles com uma linguagem que eles conseguem entender bem”, explicou a professora Mércia Abreu, que faz mestrado profissional em Letras pela Universidade Federal da Bahia (Ufba). “Nesse tipo de leitura em que ocorre a identificação do leitor com o texto, o aluno é sujeito do seu próprio conhecimento”, completou ela. Leia Mais »

Paulo Afonso realiza “Primeira Bienal do Livro”

Entre os dias 5 e 7 de novembro a cidade de Paulo Afonso será palco para a “1º Bienal do Livro de Paulo Afonso”.  o evento que pretende reunir música, literatura, poesia, dança e outras vertentes artísticas homenajeia também os escritores João Ubaldo Ribeiro, Ariano Suassuna e Antônio José Alves de Souza. O evento ainda contará com espaços para discussão e mesas sobre as reformas ortográficas, regionalismo, literatura regional dentre outros temas que darão direito a certificados de participação. Confira a programação: Dia 5 de Novembro – Auditório do Memorial Chesf 19h – Abertura da 1ª Bienal do Livro de Paulo Afonso Homenagens a João Ubaldo Ribeiro, Ariano Suassuna e Antônio José Alves de Souza (autor do primeiro livro sobre Paulo Afonso, em 1954). 20h15 – Abertura do Salão dos Escritores Atividades culturais livres: música, poesia, depoimentos de escritores, cordel. Estas atividades também serão desenvolvidas neste Salão dos Escritores nos dias 6 e 7 de novembro, das 8 às 11h30 e das 14 às 16h30. 6 de Novembro – Auditório do Memorial Chesf 9h às 9h40 – Mesa Redonda 1 – Tema: O cangaço na literatura regional Palestrante – João de Sousa Lima Participação de dois outros escritores 9h40 às 10h – debate – perguntas. 10h às 11h – Auditório do Memorial Chesf Palestra, recital e lançamento do livro “O galope de Ulisses” do poeta José Inácio Vieira de Melo, de Feira de Santana, como participação do Sesc – Ler Paulo Afonso. 14h às 14h40 – Mesa Redonda 2 – Auditório do Memorial Chesf Tema: A Chesf e o desenvolvimento regional (ou O Nordeste antes e depois da Chesf) Palestrante – Antônio Galdino da Silva Participação de dois outros escritores 14h40 às 15h – debate – perguntas. 15h às 15h40 – Mesa Redonda 3 – Auditório do Memorial Chesf Tema: Delmiro Gouveia, o desenvolvimento e a educação no sertão nordestino Palestrante – Professor Edvaldo Nascimento – Participação de dois outros escritores 15h50 às 16h10 – debate – perguntas. Dia 7 de Novembro – Auditório do Memorial Chesf 9h às 9h40 – Mesa Redonda 4 Tema: A palavra, instrumento do escritor e a Reforma Ortográfica Brasileira Palestrante – Professor Francisco Araújo Filho Participação de dois outros escritores 9h40 às 10h – debate – perguntas 14h30 – Solenidade ... Leia Mais »

Projeto sobre práticas educacionais pode virar livro

O jornalista Caio Dib, criador do caindonobrasil, viajou pelo país em 2013 para conhecer realidades e práticas educacionais inspiradoras do Brasil. Encontrou muito mais do que esperava: voltou com mais de 30 escolas, projetos educacionais e histórias de pessoas na mochila. Leia Mais »

Livro reconta história do Brasil em 50 frases famosas

Em tempos de listas e de frases famosas compartilhadas em redes sociais, o jornalista Jaime Klintowitz decidiu resumir cinco séculos de história em frases marcantes. O resultado é o livro "A História do Brasil em 50 frases" (editora Leya).O desafio foi o de encontrar máximas conhecidas Leia Mais »

Ensaísta faz uma síntese sobre a vida do autor de Macunaíma

"Eu sou trezentos, sou trezentos-e-cincoenta”, afirma Mário de Andrade (1893-1945) no poema de abertura da obra Remate de Males. E essa descrição é uma boa pista para entender o ser múltiplo do intelectual.E é também nessa dimensão que a professora livre-docente de Teoria Literária e Literatura Leia Mais »

Livro aborda potenciais educativos dos videogames

Atualmente, a indústria dos games mobiliza mais dinheiro que a do cinema. São bilhões de dólares injetados em projetos de jogos por vezes complexos, com grandes narrativas e animações realistas. Vistos muitas vezes como inimigos da educação, os games prendem a atenção de toda uma geração de jovens Leia Mais »

Livro reflete sobre práticas inclusivas

Pensar práticas inclusivas durante a formação de professores para o ensino médio. Esta é a proposta do e-book Saberes docentes para a inclusão do aluno com deficiência visual em aulas de física, escrito pelo professor Eder Pires de Camargo, da Faculdade de Ciências da Unesp, no interior de São Paulo. Leia Mais »

Benita Prieto: “Contar histórias está presente na sociedade”

Defensora da importância de resgatar a prática de contar histórias no seio familiar, pois é uma forma estabelecer a ponte entre sociedade, narrativas históricas e indivíduo, Benita Prieto há 22 anos dedica-se a arte de contar histórias, além da carreira de atriz. Apaixonada por ler e ouvir histórias, em 1991, ela foi convidada a ingressar no Grupo Morandubetá, quer dizer, muitas histórias na língua tupi. Leia Mais »