Arquivos de Tag: Secretaria da Educação do Estado da bahia

“Aluno deve ser o protagonista”, afirma baiana premiada no 8º Prêmio Professores do Brasil

Por Jair Mendonça Jr.   Professora de ciências na Escola Municipal Irmã Elisa Maria, em Nova Brasília, Josefa Rosimere Lira da Silva foi a única  baiana premiada pelo MEC no  8º Prêmio Professores do Brasil, com a criação de jogos didáticos.  Nesta entrevista, ela fala dos desafios e de como deveria ser a educação. “Ou colocamos o aluno para ser ator da sua produção ou vamos fracassar”. Fale um pouco de sua trajetória como educadora? Sou professora do ensino fundamental. Atuo na educação há 15 anos, mas no primeiro momento, logo depois de formada, atuei como psicopedagoga. Anos depois, participei de um projeto de educação científica na Universidade Federal da Bahia (Ufba), que me deu a bagagem necessária para desenvolver o trabalho que realizo atualmente. Você foi a única professora da Bahia premiada no 8º Prêmio Professores do Brasil, de iniciativa do Ministério da Educação. Como você se sentiu? Uma sensação única. Acho que é um dos poucos momentos em que o professor sente-se valorizado. Sinceramente, não achava que um projeto, desenvolvido por alunos do ensino fundamental de escola pública, fosse selecionado entre os milhares. Quando e como foi desenvolvido o projeto? Foi no ano passado. Eu tinha duas turmas, uma do 3º e outra do 5º ano. Os meninos eram  dinâmicos e alegres. Enxergando isso, lancei o desafio para os meus 34 alunos de criar jogos didáticos de ciência. No primeiro momento eles ficaram superfelizes. Acharam que ia ser a coisa mais fácil do mundo. Porque, quando criança pensa em jogo, assimila logo a brincadeira, mas eles não imaginavam os desafios que iriam surgir. E quais foram esses desafios? Primeiro tive que criar uma cartilha para identificar o perfil de cada um deles, para saber o que eles dominavam em termos de leitura, escrita, etc. O objetivo era fazê-los pensar como seriam os jogos. Porque tinha que ser com a cara deles. Apresentei a eles um roteiro, que muitos não conheciam, para começarmos a trabalhar as ideias do jogo e aprofundar o tema. Foram quatro meses só nessa fase. Minha maior preocupação era não criar jogos que ficassem guardados no armário. Quantos jogos foram criados e com que objetivo? Em um período de oito meses, trabalhamos na criação de dez jogos, mas só oito ficaram ... Leia Mais »

Grandes educadores são homenageados em escola de São Felipe

Darcy Ribeiro, Paulo Freire, Florestan Fernandes e Anísio Teixeira foram grandes nomes da educação brasileira. Defensores de uma educação pública de qualidade e de um sistema de ensino que tenha o aluno como base do aprendizado, eles tiveram – e ainda têm – forte influência nos métodos educacionais contemporâneos. Seja em escolas da rede pública ou privada, os pensamentos destes quatro educadores são usados como base para o projeto político pedagógico. Na cidade de São Felipe (no Recôncavo baiano, a 178 km de Salvador), a Secretaria Municipal da Educação foi além de aplicar os ensinamentos destes mestres em sala de aula e prestou uma homenagem aos quatro grandes pensadores. Na recém-reformada Escola Municipal Presidente Médici, as quatro salas da educação infantil do local receberam, cada uma, os nomes de Darcy Ribeiro, Paulo Freire, Florestan Fernandes e Anísio Teixeira. A homenagem, segundo explica o secretário da Educação do Município, destaca a importância destes educadores para as políticas educacionais vigentes hoje no país e, em especial, dos ideais para se chegar à educação integral. “Eles pensaram na educação integral a partir de um conjunto de ideias e estratégias”, diz. Além disso, a escola traz uma menção honrosa a Jaqueline Moll, que é uma das idealizadoras do programa Mais Educação, do governo federal. “A estratégia do Mais Educação é fantástica. As oficinas do programa fazem com que o estudante permaneça mais tempo na escola e não fique na rua. E o melhor, ele vai ficar na escola desenvolvendo atividades que gosta, criando um vínculo maior com a comunidade escolar”, destaca. Em São Felipe, a Escola Municipal Raymundo dos Santos Ferreira já funciona em tempo integral, se antecipando a muitos municípios. Nesta unidade de ensino, as aulas e as atividades artísticas, culturais e esportivas para estudantes do Fundamental I acontecem em ambos os turnos. A partir do próximo ano, serão os estudantes da Escola Municipal Presidente Médici que irão passar a estudar em tempo integral. Conforme o Secretário da Educação de São Felipe, Pedro Araújo Júnior, um desafio para ampliar a educação integral, no estado, é quebrar a ideia de turno e contraturno, como foi feito no Raymundo Ferreira e previsto para o Presidente Médici. “A ideia de turno e contraturno pode oferecer ao estudante a sensação de que o ... Leia Mais »

Estudante da rede municipal, com síndrome rara, lança livro em Salvador

Nem mesmo uma síndrome rara que provoca envelhecimento precoce é capaz de distanciar Sara Silva Gonçalves, 13 anos, do sonho de se tornar uma grande escritora. Aluna da rede municipal de ensino, a adolescente é atendida pelo programa de Educação Inclusiva da Secretaria Municipal da Educação (SMED) e lança nesta sexta-feira (05), às 8h30, seu livro “A Bruxinha Mauricéia”, sua segunda obra. O lançamento faz parte da “Mostra de experiências educacionais inclusivas: afetividade e práticas pedagógicas”, que será realizado das 7h30 às 12h, na Reitoria da Universidade Federal da Bahia (UFBA), no Canela. O secretário municipal da Educação, Jorge Khoury, fará a abertura do evento. A programação inclui ainda palestras, debates e relatos de experiências. O objetivo da mostra é socializar experiências educacionais inclusivas de professores da sala comum, da sala de recursos multifuncionais, classes hospitalares da rede pública municipal de Salvador e centros de atendimento educacional especializado, que revelem a garantia do direito à educação com qualidade e equidade, centradas no respeito e valorização das diferenças e à diversidade no contexto escolar. O evento também tem como intuito refletir sobre a escola, sua função social e formativa de promover educação e cuidado com equidade na formação do educando, além de socializar experiências de professores da rede, através do relato de experiências exitosas no processo de inclusão dos alunos, público-alvo da Educação Especial na escola regular e alunos hospitalizados. Leia Mais »

Representantes de 85 cidades participam de encontro para debater educação integral

Secretários municipais, prefeitos e outros representantes de 85 cidades baianas se reuniram ontem em São Felipe, no Recôncavo Baiano (a 180 km de Salvador), para discutir as políticas de educação integral no Estado. Um dos principais temas debatidos foi a meta seis do Plano Nacional da Educação (PNE), que trata da educação integral. O número de municípios participantes no evento foi muito superior ao esperado. A previsão inicial era que gestores de cerca de 70 municípios participassem do evento, mas outros representantes decidiram partilhar das discussões. A deputada federal Alice Portugal, que faz parte da comissão de educação da Câmara Federal, também participou do encontro, que contou com a presença de gestores de cidades como São Francisco do Conde, Conceição do Coité e Dias D’Ávila. “Foi um encontro muito proveitoso. As discussões foram bem amplas sobre o desenvolvimento da educação integral no nosso estado”, ressaltou a subsecretária da Educação de São Felipe, Cláudia Pitanga. Os gestores discutiram também a ampliação do programa Mais Educação (do Governo Federal), que tem o objetivo de ampliar a jornada escolar por meio de atividades esportivas, artísticas, culturais e de promoção da saúde, entre outras – realizadas no turno oposto às aulas. Além de trocarem experiências sobre o desenvolvimento do programa nos municípios, os gestores assistiram a uma apresentação comandada por um representante do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), que esclareceu dúvidas com relação aos recursos federais encaminhados para as cidades. Destaque Os representantes dos 85 municípios participantes do evento ainda realizaram uma visita a escolas da rede municipal de São Felipe. A experiência do programa Mais Educação neste municípios é considerada pelo Comitê Baiano de Educação Integral, uma iniciativa de sucesso. “Eles ficaram encantados com nossas escolas, principalmente em relação à estrutura, organização e ao nosso projeto pedagógico. Todos fizeram muitos elogios”, disse Cláudia Pitanga. O evento foi promovido pelo Comitê Baiano de Educação Integral. Em São Felipe, a Escola Municipal Raymundo dos Santos Ferreira já funciona em tempo integral, se antecipando a muitos municípios. Nesta unidade de ensino, as aulas e as atividades artísticas, culturais e esportivas acontecem em ambos os turnos. Conforme o Secretário da Educação de São Felipe, Pedro Araújo Júnior, um desafio para ampliar a educação integral na Bahia é quebrar a ideia de ... Leia Mais »

Secretários municipais discutem educação integral na Bahia

Cerca de 70 secretários municipais participam, na próxima terça-feira (25), de um encontro para discutir as políticas de educação integral na Bahia. Um dos principais temas do evento, que será realizado no Município de São Felipe, no Recôncavo Baiano (a 180 km de Salvador), das 9h às 17h, será a meta seis do Plano Nacional da Educação (PNE), que trata da educação integral. Durante a reunião, que acontece na Escola Municipal Presidente Médici, será discutida também a Lei 13.005/ 2014. Sancionada pela presidente Dilma Rousseff em junho passado, a nova legislação prevê que, nos próximos dez anos, 50% das escolas do território nacional e 25% dos alunos tenham educação em tempo integral. Na ocasião, estarão presentes os secretários de municípios como São Francisco do Conde, Conceição do Coité e Dias D’Ávila. O evento, promovido pelo Comitê Baiano de Educação Integral, também deve contar com a participação da deputada federal Alice Portugal, que faz parte da comissão de educação da Câmara Federal. “Vamos trocar as experiências que já foram desenvolvidas nos municípios”, afirma o Secretário da Educação de São Felipe, Pedro Araújo Júnior. Segundo ele, alguns dos desafios das cidades, nos próximos anos, serão o desenvolvimento e a expansão de estratégias para alcançar a meta proposta pela nova legislação. Este é o quatro encontro do comitê realizado em 2014. Castro Alves, Vitória da Conquista e Conceição do Coité sediaram as três reuniões anteriores. A iniciativa considerada como o embrião da educação integral no Brasil é o programa Mais Educação (do Governo Federal) que tem o objetivo de ampliar a jornada escolar por meio de atividades esportivas, artísticas, culturais e de promoção da saúde, entre outras, que são realizadas no turno oposto às aulas. “O Mais Educação é uma estratégia para se chegar à educação integral. As oficinas do programa fazem com que o estudante permaneça mais tempo na escola e não fique na rua. E o melhor, ele vai ficar na escola desenvolvendo atividades que gosta, criando um vínculo maior com a comunidade escolar”, avalia Pedro Júnior. Outro desafio é quebrar a ideia de turno e contraturno. A proposta, ressalta o secretário, é que os alunos participem das aulas e das atividades artísticas ou esportivas, por exemplo, em ambos os turnos. “A ideia de turno e contraturno ... Leia Mais »

A TARDE EDUCAÇÃO: Projeto fecha parceria com Maragogipe

O município de Maragogipe firma parceria com o programa A TARDE Educação, visando a ampliar ferramentas didáticas no município tendo o jornal como protagonista O programa, que trabalha com a linha da educomunicação, propõe disseminar novas formas de utilizar o jornal dentro das salas de aula, incentivando a leitura e a escrita dos alunos. Para o secretário da educação Adilton Ferreira, levar o jornal à sala de aula é levá-lo também às família dos alunos e despertarmos estudantes a consciência da importância do veículo para se manter informado. “É muito importante que eles tenham a cultura de folhear as páginas dos jornais e entender que, o que está escrito faz parte do cotidiano deles. É um veículo que muitos pais desconhecem, às vezes porque não sabem ler ou não tiveram acesso. Agora seus filhos passarão a ter acesso a partir desta parceria. O A TARDE Educação para mim é uma maneira que encontramos de seduzir esses novos leitores”, afirma. Leia Mais »

ESCOLA VIVA: Educadores apostam na escola em tempo integral

Por Priscila Machado A parceria entre escolas, comunidades e organizações não governamentais pode ser uma saída para ampliar a oferta de educação integral na rede de ensino do país. A meta está prevista na lei 13.005 que instituiu o Plano Nacional de Educação(PNE), sancionada em junho. A união de esforços foi sugerida no seminário internacional ‘Educação + Participação = Educação Integral’, realizado pela Fundação Itaú Social na sede da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo, em São Paulo. O PNE prevê que, até 2024, seja ofertada educação integral em, no mínimo, 50% das escolas públicas,de forma a atender, ao menos, 25% dos alunos da Educação Básica. Em todo o país,apenas 51,8 mil escolas públicas da educação básica (34,7%) oferecem educação integral a 4,9 milhões de alunos (13,2%). Na Bahia, o percentual é menor, apenas 1,8 mil escolas (23,3%) oferecem permanência igual ou superior a sete horas diárias – tempo mínimo previsto para a educação integral – atendendo a 354,5 mil alunos da rede pública (12,5%).Para a palestrante Lúcia Couto, gerente de desenvolvimento e conteúdo do Instituto Unibanco, este resultado deve -se a questões históricas,como a distribuição de renda do país e ao início antecipado das discussões sobre a qualidade de ensino nas regiões que apresentam melhores índices. “Acho que a discussão nacional,a partir do PNE, é um passo importante para diminuir a desigualdade entre as regiões e os estados”. Para Jéssica Donner, diretora executiva da Every Hours Counts, instituição responsável por promover programas para a educação integral nos Estados Unidos, a ampliação da carga horária dos alunos de rede pública reduz a desigualdade entre o ensino particular e o público. “Um garoto de família rica tem muito mais oportunidade de aprendizado que um menino de família pobre, porque participa de atividades complementares tanto esportivas como culturais e sociais. Nos anos finais da educação básica essas vivências representam um abismo enorme entre os dois currículos”, disse a palestrante. Segundo a diretora executiva, algumas cidades dos Estados Unidos conseguiram bons resultados após estabelecer em parcerias com instituições sem fins lucrativos. Ela conta que a legislação foi modificada para regulamentar a relação entre escolas e fundações filantrópicas e que o governo passou a fazer uso inteligente dos recursos, o que possibilitou o avanço.“É um desafio para o ... Leia Mais »

Alunos escolas municipais de Licínio de Almeida desenvolvem “Jornal Escolar”

Considerando a necessidade do incentivo à leitura e do trabalho interdisciplinar além de ampliar a possibilidade de sucesso das crianças e jovens, tanto na escola, portanto no presente, quanto em sua futura vida como cidadãos e profissionais, segundo Inês Kisil Miskalo o município de Licínio de Almeida, através da parceria entre a Secretaria de Educação – SME com o Instituto Ayrton Senna e a ONG Comunicação e Cultura desenvolveram o Projeto Jornal Escolar nas escolas públicas municipais. A produção do jornal no município é supervisionada por um coordenador geral da SME o Profº. Robson Farias em parceria com o coordenador pedagógico de cada escola e orientada pelo professor das turmas. O conteúdo do jornal é produzido em sala de aula, pelas turmas do 4º, 5º, 6º e 7º anos, onde os professores aplicam a cada edição – serão três edições durante o ano letivo – uma sequência didática, trabalhando gêneros textuais presentes no convívio e na vida dos alunos, tais como: tirinhas, artigos de opinião, poesias, recados, bilhetes, carta do leitor, contos, adivinhações entre outras. Depois de prontas, as escolas deverão encaminhar suas produções – via e-mail – para a ONG Comunicação e Cultura, que conta participação de voluntários para a diagramação e recebem o jornal diretamente nas escolas pelos Correios. De acordo com Karla Mychely, secretária municipal de educação, a parceria com o Jornal Escolar é mais uma contribuição para o enriquecimento das práticas desenvolvidas no âmbito escolar e abrirá ao aluno um leque de oportunidades auxiliando no desenvolvimento de sua criatividade. Colaborou: Robson Farias Leia Mais »

Alunos de música da rede municipal de ensino se apresentam em Alagoinhas

“Já podemos mostrar para a comunidade o desenvolvimento dos alunos na área musical”, comentou o professor e músico Ulysses Leal, após uma exibição de jovens da rede municipal de ensino, na Praça Santa Isabel, que participam do Projeto Florescer, desenvolvido pela Secretaria da Educação de Alagoinhas (SEDUC), com aulas de violino. De acordo com o professor, esta foi a segunda exibição pública dos alunos – a primeira foi na Casa do Boi Encantado (Centro de Cultura), durante a Bienal de Artes da Bahia, em agosto importante a exibição para platéia, porque os alunos adquirem auto-estima, confiança e também para que a população de Alagoinhas saiba do projeto”, comentou Ulysses Leal. Ele afirmou que a pretensão é dotar Alagoinhas de uma orquestra de violinos, mas com possibilidade de expandi-la com outros instrumentos. No final do ano, haverá apresentação em frente ao prédio principal da Prefeitura de Alagoinhas. Neste mesmo período, os alunos farão exibição em agências bancárias da cidade.nova “disciplina” (aulas de violino) é mais uma das atividades desenvolvidas pelo “Florescer”, que tem como objetivo aprimorar o aprendizado na leitura, escrita, interpretação de texto e nas operações aritméticas. A parceria entre a Secretaria de Educação (SEDUC) e o professor e músico Ulysses leal é realizada em oito escolas municipais, duas vezes por semana, distribuídos em diversos bairros. São cerca de 100 a 120 alunos que aprendem a tocar violino. O projeto conta com 16 violinos. “Queremos atingir 50 instrumentos, por isso que vamos à busca de novas parcerias”, completou Leal. Além das aulas práticas, há também as teóricas. E o objetivo é atender aos alunos com o trabalho da música visando a socialização e a autoestima. Após as aulas de violino, professoras e diretores das unidades comprovaram melhor rendimento dos alunos em sala de aula. Fonte: Alagoinhas Hoje Leia Mais »

Link Aprendiz, em Vitória da Conquista (Ba), prepara jovens para o mercado de trabalho

Pensando na inserção de jovens estudantes no mercado de trabalho, duas vezes na semana o programa “Estação Juventude – Link Aprendiz” oferece cursos gratuitos na área de informática, conhecimentos gerais, português e inglês. Realizado por meio de uma parceria da prefeitura com o Governo do Estado a iniciativa está sendo desenvolvida na cidade de Vitória da Conquista (Ba), e atende desde o mês de junho cerca de 100 jovens, além dos que já se interessaram, inscreveram-se e aguardam pela abertura da próxima turma. “O Governo Municipal viu nessa parceria uma oportunidade de oferecer aos jovens uma qualificação. É o básico para que eles entrem no mercado de trabalho”, explica o coordenador municipal de Juventude, Rudival Maturano. Para Júlia Fernandes de 17 anos, o programa é uma oportunidade para ampliar o seu desenvolvimento. “Achei uma oportunidade de ampliar mais os meus conhecimentos e ter mais coisas no meu currículo”, afirma. Para participar do programa o único requisito é que os interessados estejam cursando ou tenham concluído o ensino médio. Quem se interessar deve se dirigir à Secretaria Municipal de Trabalho, Renda e Desenvolvimento Econômico (Semtre), localizada na Avenida Bartolomeu de Gusmão, nº 744, bairro Jurema, em Vitória da Conquista, portando originais e cópias do RG, CPF, comprovantes de escolaridade e de residência atual, além de uma foto 3 x 4. Leia Mais »