Arquivos de Tag: Tecnologia

Google premia estudantes com viagens à sede da empresa; inscreva-se

Da Redação Estudantes do mundo inteiro entre 13 e 18 anos podem se inscrever para a Google Science Fair, uma competição com o objetivo de incentivar os adolescentes a apresentarem ao mundo uma invenção, pesquisa ou projeto desenvolvidos por eles. O Brasil ocupa um lugar de destaque, sendo um dos cinco países que mais enviam projetos. O Google dará mais de US$ 100 mil dólares em premiações. Além disso, os vencedores de cada prêmio concedido pela empresa e parceiros da Google Science Fair ganharão uma bolsa de estudos, um ano de mentoria com um profissional da área de ciências e uma viagem com tudo pago para a sede do Google, na Califórnia (EUA). A feira já contou com projetos enviados por estudantes de mais de 90 países. Tanto o envio como a avaliação de todos os projetos é feita on-line: dessa maneira, os estudantes precisam apenas de uma boa ideia na cabeça e uma conexão de internet para poder participar (os projetos podem ser enviados em até 15 idiomas diferentes, português incluso). Faça a sua inscrição no site da competição até o dia 17 de maio. Cronograma 17 de maio – encerramento das inscrições 18 de julho – anúncio dos finalistas regionais e vencedores do novo Prêmio de Impacto na Comunidade 11 de agosto – anúncio dos finalistas globais 27 de setembro – evento final  e entrega dos prêmios em Mountain View, na Califórnia Premiações concedidas Valor total de US$ 125 mil dólares Prêmio Principal – US$ 50 mil Prêmio Inovador da Scientific American – US$ 15 mil Prêmio Construtor da Lego Education – US$ 15 mil Prêmio Explorador da National Geographic – US$ 15 mil Prêmio Pioneiro da Virgin Galactic – US$ 15 mil Prêmio de Impacto na Comunidade Local – US$ 5 mil Prêmio Educador Inspirador – US$ 10 mil Leia Mais »

Ferramentas e aplicativos prometem facilitar a vida de professores em 2016

Por Marina Lopes Só quem é professor sabe quanto tempo costuma ser gasto para gerenciar a classe, elaborar aulas e corrigir provas. Na onda de promessas de final de ano e expectativas para 2016, será que essas atividades não poderiam ser mais eficientes e menos trabalhosas? Pensando nisso confira dicas de aplicativos e plataformas gratuitas que podem ajudar a otimizar as tarefas diárias realizadas pelos educadores. Confira a lista: Starline SGP A plataforma otimiza o tempo do professor com um sistema de gestão de provas que faz a correção automática de questões objetivas e oferece relatórios com o desempenho dos alunos. Dentro da ferramenta é possível criar um banco de questões e montar o layout da avaliação. Evernote Disponível para todos os dispositivos, a ferramenta ajuda a organizar tarefas, ideias e até mesmo aulas. Na versão gratuita, também é possível salvar páginas da web, trocar mensagens e acessar anotações em todos os computadores ou celulares utilizados. GoConqr Reúne diversas ferramentas que ajudam a criar conteúdos mais atrativos, incluindo mapas mentais, quizzes, flashcards, slides e anotações. Ao fazer uma conta no site, o professor consegue cadastrar suas disciplinas e organizar atividades. Entre outras funcionalidades, também existe a possiblidade de criar grupos de estudos e compartilhar materiais com os alunos. Remind O aplicativo melhora a comunicação entre professores, pais e alunos, evitando o tempo gasto para escrever comunicados sobre lições e avaliações na agenda de cada estudante. A ferramenta também possibilita enviar imagens, arquivos, vídeos e mensagens de voz. Escola Digital Plataforma gratuita reúne mais de 4 mil objetos digitais de aprendizagem, que podem ser pesquisados por componentes curriculares, nível de ensino e tipo de mídia. A Escola Digital traz diversas opções de vídeos, animações, games, infográficos, simuladores e outros recursos que ajudam a dinamizar o aprendizado dentro e fora da sala de aula. Google Apps for Education Ferramentas de produtividade que incentivam a colaboração em sala de aula, incluindo editores de texto, agendas, chamadas em vídeo, entre outros. O pacote também conta com o aplicativo Google Sala de Aula, que possibilita o gerenciamento de classes, controla a distribuição de atividades e facilita interação com os alunos. Nearpod Com ferramentas que permitem criar apresentações, compartilhar conteúdos e acompanhar o desempenho dos alunos, a plataforma torna o celular um aliado dentro da sala de aula. ... Leia Mais »

Projetos de estudantes baianos são premiados em feiras nacionais

Mais uma vez, projetos de estudantes da rede estadual de ensino se destacaram em feiras nacionais de ciências. Na 30º Mostra Brasileira de Ciência e Tecnologia (Mostratec), no Rio Grande do Sul, foram premiados os projetos “Capacete Salva-Vidas”, “Degradação de sacolas plásticas a partir de micro-organismos do solo” e “Extração da amêndoa do caroço da manga para produção de gêneros alimentícios”. Já os projetos “Assistência Técnica Rural – Sustentabilidade para a agricultura familiar” e “Segurança do bebê ou portador de necessidades especiais” se destacaram na 21ª Ciência Jovem, em Pernambuco. As feiras, realizadas no mês de outubro reuniram experiências científicas, projetos de pesquisa em diversas áreas do conhecimento humano, com o objetivo de desenvolver a cultura científica entre os jovens estudantes. “Ter projetos das escolas estaduais participando e sendo premiados nesses eventos é resultado todos os esforços envidados para garantir aos estudantes o direito de aprender e promover a educação científica na rede estadual”, afirmou Rogério Lima, coordenador da Feira de Ciências da Bahia (Feciba). A Mostratec reuniu 376 projetos de jovens cientistas de todos os estados e mais 19 países. Premiados na feira gaúcha, os estudantes de Conceição do Coité (BA), Poliana Mascarenhas e Marcelo Oliveira destacaram o incentivo à pesquisa, feito pelo programa Ciência na Escola e ficaram emocionados. “Meu sentimento é de gratidão, e a todos que nos ajudaram e nos deram a oportunidade de chegar tão longe quanto chegamos, por ter nos impulsionado a crescer ainda mais”, relatou Marcelo. “Mostramos que podemos fazer algo, que temos a chance de fazer um mundo melhor com muita força de vontade”, comemorou Poliana. O estudante de Barreiras, Tailan Silva, também levou um prêmio para casa com o projeto “Extração da amêndoa do caroço da manga para produção de gêneros alimentícios”. Para ele, a participação na Feciba, em 2014, despertou a sua capacidade de pensar e pesquisar, além do interesse em participar de outras feiras. “Participar da Mostratec foi algo incrível. Estou indo para casa com meus conceitos de pesquisador modificado, com outra concepção sobre avaliações e ciente do que fazer para crescer cada vez mais”, disse Tailan.  Ciência Jovem – Premiado com o projeto “Segurança do bebê ou portador de necessidades especiais”, o estudante Daniel Alves, de Itanhém (BA), comemorou a participação na feira. “Estou ... Leia Mais »

“A educação profissional, que é para o Brasil de hoje e do futuro” afirma ministro da Educação

A importância do ensino técnico foi exaltada pelo ministro da Educação, Renato Janine, ao participar na noite dessa terça-feira (11) da cerimônia de abertura da WorldSikills Competition, em São Paulo. “A educação profissional, que é para o Brasil de hoje e do futuro, é uma das políticas centrais para promover o desenvolvimento pessoal, socioeconômico e, ao mesmo tempo, acelerar o ritmo da produtividade e da competitividade”,  disse ao comentar a importância do ensino técnico. O evento é uma competição de educação profissional que começa nesta quarta (12) e vai até sábado (15). São 1,2 mil competidores de 60 países, com especialização em 50 ocupações técnicas e com até 22 anos de idade. Especialistas em áreas como mecatrônica, desenho mecânico, marcenaria, soldagem, eletricidade industrial, web design e confeitaria participarão de provas, em que deverão executar tarefas cotidianas do trabalho em empresas. O Brasil terá 56 participantes na competição. Para os competidores, o ministro disse que “o importante é competir. A primeira e mais importante competição é aquela que fazemos com nós mesmos. O desejo de superação, de ultrapassar nossos próprios limites, deve vir antes do desejo de vencer o outro”. O ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Armando Monteiro Neto, que também participou da cerimônia, afirmou que a competição ajuda a destacar a importância da formação profissional no país. “Neste momento, essa agenda é estratégica, porque o Brasil precisa elevar cada vez mais a competitividade da sua economia e eu considero fundamental investir em seu capital humano”, disse. Para o presidente da Confederação Nacional da Indústria, Robson Braga de Andrade, “o ensino profissional abre as portas para milhões de jovens que chegam ao mercado de trabalho com a missão de construir o futuro e o presente do nosso país”. Leia Mais »

Rede Social Espaço Aberto estimula a interação e troca de experiências

Mais de 2.500 professores já integram a rede social Espaço Aberto, plataforma desenvolvida pela Secretaria da Educação, por meio da Rede Anísio Teixeira. Focada em fortalecer o ensino e a aprendizagem, a rede social permite e a interação e troca de experiência entre os professores da rede estadual de ensino da Bahia, com o compartilhamento de vídeos, fotos e áudios, organização de fóruns e grupos, publicação de textos e interação por meio de bate-papo. A plataforma deve ser acessa no Portal da Educação (www.educacao.ba.gov.br). Todos os professores que integram a plataforma passaram por uma formação para o melhor uso da ferramenta. “É um ambiente muito interessante e que vai melhorar ainda mais, com a chegada de novos professores, interagindo, trocando ideias e compartilhando trabalhos”, ressaltou a educadora da Rede Anísio Teixeira, Ana Rita Medrado. “Talvez muitos professores ainda desconheçam a ferramenta e não saibam o potencial que ela tem em relação à troca de experiências e boas práticas”, reforçou o professor André Soledade. Hoje, todos os projetos contam com um grupo de discussão e compartilhamento no Espaço Aberto. O próximo passo será a abertura da plataforma para estudantes. Assim como os professores, eles também receberão orientações para uso correto da rede social. “A partir do momento em que a rede social Espaço Aberto estiver disponível ao estudante, essa interatividade vai aumentar muito mais e fortalecer o ensino e a aprendizagem”, destacou André Soledade. Mídias e Tecnologias Educacionais – A Rede Social Espaço Aberto é mais um dos serviços disponíveis do Ambiente Educacional Web (ambiente.educacao.ba.gov.br).Além da comunicação e interação entre os docentes, o Ambiente permite acesso a conteúdos digitais livres das diversas áreas do conhecimento (vídeos, jogos, animações, simulações, experimentos e sequências didáticas, entre outros), e dispõe de programas livres, voltados para a colaboração e produção de mídias e tecnologias educacionais. Leia Mais »

TECNOLOGIA: A ideia não é “abandonar o quadro negro”

A utilização de tecnologia dentro e fora das salas de aula já é um realidade em grande parte das escolas do Brasil e do resto do mundo. De acordo com dados do Programa de Avaliação de Alunos (Pisa), já em 2011 no Brasil, 40,8% dos alunos com 15 anos liam e-mails e 56,2% usavam algum chat. Outros países têm índices maiores – na Holanda, por exemplo, as taxas eram, respectivamente, de 91% e 90,5%. Apesar das grandes oportunidades de aprendizado a rede, aplicativos e dispositivos tecnológicos são capazes de produzir efeitos positivos e negativos quando não utilizado devidamente. É o que aponta o Tutor do Curso de Aperfeiçoamento em Tecnologias Educacionais – UNEB Alaor Lopes , em entrevista ao A TARDE Educação, que afirma que não é o momento de “abandonar o quadro negro” mas sim buscar dentro das possibilidades das escolas e dos alunos formas de inovar e deixar os conteúdos mais interessantes “Ainda existe a necessidade de adequação, de abertura para o novo, a fim de tornar as aulas mais atraentes, participativas e eficientes”, afirma. Para Alaor apesar dos benefícios as tecnologias podem de tornar vilões facilmente, principalmente quando os professores precisam ‘competir’ com elas. Um caminho apontado para driblar isso é a capacitação dos profissionais para utilizarem esses recursos em salas de aula. “Quando ela se torna uma concorrente em sala de aula e o professor começa a disputar com as redes sociais instaladas nos celulares.E uma das dificuldades é a falta de formação de qualidade para os professores quanto ao uso dessas novas tecnologias”. Leia Mais »

Dificuldades em aplicar tecnologias em salas de aula estão ligadas a falta qualificação do professor

*Por Brenda Gomes Apesar das grandes oportunidades de aprendizado a rede, aplicativos e dispositivos tecnológicos são capazes de produzir efeitos positivos e negativos quando não utilizados devidamente. É o que aponta o Tutor do Curso de Aperfeiçoamento em Tecnologias Educacionais – UNEB Alaor Lopes , em entrevista ao A TARDE Educação, o qual afirma que não é o momento de “abandonar o quadro negro” mas sim buscar dentro das possibilidades das escolas e dos alunos formas de inovar e deixar os conteúdos mais interessantes “Ainda existe a necessidade de adequação, de abertura para o novo, a fim de tornar as aulas mais atraentes, participativas e eficientes”, afirma. Confira entrevista completa: AT: Você acredita que a tecnologia possa ser um aliado na educação? Acha que existe uma faixa etária adequada para utilizá-las nas salas de aulas? Sim, ela veio pra inovar com a educação, porém ainda existe a necessidade de adequação, de abertura para o novo, a fim de tornar as aulas mais atraentes, participativas e eficientes. A ideia não é abandonar o quadro negro, mas usar das novas tecnologias em sala de aula. Creio que a educação só irá avançar quando houver uma reestruturação da educação básica com o público até os 07 anos. AT: Quando a tecnologia atrapalha? Quando ela se torna uma concorrente em sala de aula e o professor começa a disputar com as redes sociais instaladas nos celulares por exemplo. E uma das dificuldades é a falta de formação de qualidade para os professores quanto ao uso dessas novas tecnologias. AT: Como você enxerga a relação da tecnologia com a educação do futuro? Num mundo tecnológico, integrar novas tecnologias à sala de aula ainda é pouco frequente e um desafio para os professores. Em muitos casos, a formação não considera essas tecnologias, e se restringe ao teórico, ou seja, o professor precisa buscar esse conhecimento em outros espaços. Isso nem sempre funciona, pois frequentar cursos de poucas horas nem sempre garante ao professor segurança e domínio dessas linguagens. Inseguros e despreparados, muitos educadores já perceberam o potencial dessas ferramentas e procuram levar novidades para a sala de aula, seja com uma atividade prática no computador, com videogame, tablets e até mesmo com o celular. AT: A educação EAD é um exemplo positivo ... Leia Mais »

TECNOLOGIA: Google lança aplicativo que conecta alunos e professores

A plataforma Google Classroom, lançada no ano passado, ganha agora uma versão em aplicativo. Com a intenção de incluir o celular no processo de ensino-aprendizagem, o Google disponibiliza o aplicativo para Android e iOS, com mais ferramentas para professores do que a versão na web. Integrado a outras ferramentas da empresa como Gmail, Drive e Google Docs, o aplicativo permite que os professores elaborem exercícios e saibam quais alunos concluíram as tarefas. É possível anexar aos exercícios imagens, gráficos, documentos em PDF e páginas de aplicativos. Já os alunos também podem tirar fotos e anexá-las ao entregar as tarefas propostas. Mesmo quando não há conexão à internet, as atividades agendadas pelos professores são registradas e aparecem atualizadas – o programa as registra em cache. Também é possível acessar um arquivo de documentos digitais exibidos em aulas anteriores. A versão original do Google Classroom, em plataforma na web, já recebeu mais de 30 milhões de registros. Com informações da Revista Educação *Foto: Reprodução/YouTube.com Leia Mais »

Bahia lança III Fórum Mundial de Educação Profissional e Tecnológica

A Secretaria da Educação do Estado da Bahia lança, nesta sexta-feira (30), às 15h, no Instituto Anísio Teixeira (IAT), na Avenida Paralela, em Salvador, o III Fórum Mundial de Educação Profissional e Tecnológica. A secretaria participa da organização do evento, que acontece entre os dias 26 e 29 de maio, no Centro de Convenções de Recife, em Pernambuco, com o objetivo de levantar propostas para compor a plataforma mundial de Educação. O lançamento terá transmissão por videoconferência para os 27 Núcleos Regionais de Educação (NRE), localizados em todos os territórios de identidade do estado. “O lançamento do Fórum na Bahia será um momento de mobilização da nossa rede de educação profissional. Faremos convite aos estudantes, professores, gestores e parceiros da educação profissional na Bahia para a participação no Fórum”, disse a diretora de Desenvolvimento da Educação Profissional, Cristina Kavalkievicz. Além de detalhes da programação e inscrição para o evento, no lançamento, o público poderá conferir apresentações artísticas de alunos dos cursos de educação profissional da Bahia. Segundo Cristina Kavalkievicz, o Fórum contribui ainda para o fortalecimento da educação profissional. “É um espaço para a troca de experiências, de acesso às tecnologias que os estudantes estão desenvolvendo em diversas escolas e cursos, além do fortalecimento da educação profissional e tecnológica”. *Com informações da Secretaria de Comunicação da Bahia Leia Mais »

Por que a tecnologia não mudou a educação: porque o sistema é o mesmo

A educação não vai bem — isso todo mundo sabe por estatística ou por experiência própria. O que intriga muita gente é por que a situação não melhora com toda a tecnologia disponível. Para o trio da Santo Caos, uma “consultoria de engajamento” de São Paulo, a resposta é que o modelo educacional é o mesmo. O aparato tecnológico é usado apenas como outra modalidade de material, sem alterar a maneira como o conteúdo é ensinado ou modificar a administração das verbas e do tempo. Usando um método de pesquisa chamado “bola de neve”, em que um entrevistado indica o próximo, os publicitários fizeram um documentário de 30 minutos que pretende esclarecer a questão com o título “Do Giz ao Tablet: por que a tecnologia não mudou a educação”. Derrubando paredes “É preciso haver uma remodelagem da escola”, afirma Guilheme Françolin, 25, que buscou as respostas em companhia dos sócios Jean Soldatelli, 25, e Daniel Santa Cruz, 25. Ele cita a escola municipal Amorim Lima, que derrubou as paredes das salas de aula e estabeleceu roteiros de estudos para os alunos, flexibilizando a aula. Segundo ele, a escola de hoje não atende mais as necessidades do mercado de trabalho que os filhos da geração Y (nascidos nos anos 1980) terão que enfrentar. “Temos que mudar isso de um cara no tablado, um professor que só transmite os conhecimentos.” A mudança, indica o jovem publicitário, estaria na maneira de organizar o tempo e as verbas da escola. Como exemplos ele aponta a construção de conhecimento em rede como nas plataformas wiki ou a personalização das experiências de cada aluno. Ele faz uma analogia tecnológica para explicar seu ponto: “a gente viu que precisava mesmo era de uma plataforma de código aberto”. Ou seja, com liberdade e espaço para soluções particulares surgirem, mas com um objetivo comum de ensinar o mesmo para os alunos. Além do conteúdo, Françolin acha que a escola precisa desenvolver competências nos aluno, as novas chaves para o sucesso. *Com informações de  Karina Yamamoto, da Uol Leia Mais »